Turismo da Alemanha quer atrair viajante de luxo brasileiro

|

Emerson Souza
Joachim Miller, da Miller Incoming, Margaret Grantham, do Turismo da Alemanha, e Monica Nardo, da Lufthansa
Joachim Miller, da Miller Incoming, Margaret Grantham, do Turismo da Alemanha, e Monica Nardo, da Lufthansa
Em meio à crise econômica e às retrações de performance por ela acarretadas, o mercado de luxo foi um daqueles que não apresentou cenários extremamente negativos nos últimos meses. O turista mais endinheirado fez adaptações em suas férias, é evidente, mas não deixou de viajar. De olho neste perfil, o Turismo da Alemanha se juntou a Lufthansa e a Miller Incoming para apresentar ao trade brasileiro produtos que abasteçam esse exigente consumidor.

Diretora do Centro de Turismo Alemão, Margaret Grantham explica que “o mercado de luxo na Alemanha não é o de ostentação, é de autenticidade, cultura, bem viver, que são características do próprio alemão”. Relatando um 2016 “muito ruim”, a executiva contou que o Turismo da Alemanha resolveu então investir no segmento de luxo.

“O feedback das empresas que vendem Alemanha é positivo e mostra que vem tendo um crescimento”, afirma, garantindo que, na comparação com 2016, o número de pernoites deste ano já apresenta crescimento de 12%. “O Brasil é um País que tem bastante milionários, é um público que gosta de viajar, gosta de cultura. A Alemanha é um país que atende bem nichos diferentes, que tem boa gastronomia, cultura, hospedagem. Quando eles fazem algo, eles fazem bem feito.”

RECEPTIVO
Em visita ao Brasil, o diretor geral da Miller Incoming, Joachim Miller, trouxe ao País o novo catálogo de luxo do receptivo, que além de Alemanha também atua na Suíça e na Áustria. O diretor afirma que “o Brasil para nós é um dos mercados mais importantes da América Latina”. Segundo Miller, Brasil, Argentina e México são as nações com que a empresa mais trabalha na região – tanto que, em seus roteiros, são empregados guias que falam tanto português quanto espanhol.

“Para nós, o mais importante é mostrar nossa cara ao trade brasileiro, para que eles conheçam nossos produtos e saibam que somos uma possibilidade de entregar qualidade. Mostrar que somos um parceiro qualificado para os viajantes de luxo e também para os quatro e três estrelas”, disse, complementando: “na Alemanha, qualidade é algo importante”.

AÉREO
Parte importante do pacote de um viajante de luxo, o aéreo foi abordado pela executiva de contas da Lufthansa, Monica Nardo. Sem dar números, a executiva afirmou que os números de 2017 têm sido positivos e exemplificou. “Nas saídas de São Paulo e Rio de Janeiro para Frankfurt, são 80 lugares de executiva, e eles estão sempre cheios.”

Sob a bandeira da Lufthansa, são operados voos diários a bordo de 747-8 para Frankfurt saindo de São Paulo e Rio de Janeiro. Outra rota diária é realizada pela Swiss entre São Paulo e Zurique, enquanto que o mesmo destino saindo do Rio de Janeiro é feito duas vezes por semana pela Edelweiss.

Ao trade de luxo, Monica Nardo sugeriu a venda de assentos Premium Economy, que “não é só mais espaço na poltrona, é uma outra categoria”. A executiva de contas ainda deu a dica do Business Lounge de Frankfurt, que para clientes Premium Economy custa 25 euros adicionais e “é uma possibilidade de descansar, comer, utilizar a internet ou tomar um banho”.

Confira abaixo o álbum com fotos de Emerson Souza no evento promovido pelo Centro de Turismo Alemão:
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA