ENTRETENIMENTO

Comitiva do Vale do Loire (França) visita três cidades

Netto Moreira
Jean-Phillipe Pérol, da Atout France, ao lado de Isabelle Scipion, do Comitê Regional de Turismo do Vale do Loire, entre os fornecedores da região. Veja no álbum mais informações sobre cada um deles
A região do Vale do Loire – lê-se “luar” –, localizada 120 quilômetros ao sul de Paris – 50 minutos de TGV –, está com representantes em São Paulo para divulgar seus atrativos, visitados por mais de 6,4 milhões de pessoas anualmente. A comitiva passará amanhã por Belo Horizonte e, na quinta-feira, pelo Rio de Janeiro, para visitar agências de viagens e operadoras.

De acordo com o diretor da Atout France para as Américas, Jean-Phillipe Pérol, a região, também conhecida como “Jardins da França” e “Berço da Língua Francesa”, tem como grandes expoentes os castelos e os vinhos. “As bebidas são leves e simpáticas e a diversidade de castelos para visitação é grande”, destacou.

A diretora de Marketing do Comitê Regional de Turismo do Vale do Loire, Isabelle Scipion, ressalta que a região possui monumentos classificados como Patrimônio da Humanidade da Unesco, além de contar com espaços naturais, para que os visitantes passem o dia, além de mais de 800 quilômetros de área para ciclismo.

Para Pérol, um dos grandes desafios é fazer com que o brasileiro fique hospedado na região. “Muitos visitantes passam apenas um dia lá e nem chegam a passar a noite. O Vale do Loire pode ser visitado em três, quatro dias, seguramente.”

Participaram da ação o Patrimônio Nacional de Chambord, o Castelo Real de Blois, o Domínio Regional de Chaumont-sur-Loire, o Castelo de Chenonceau, o Castelo Real de Amboise, e o Castelo Clos Lucé, além da Loire Valley Tours e Tours Val de Loire Tourisme, empresas que fornecem passeios com guia em português.

PESO DA HISTÓRIA
Na região, estão cidades com peculiaridades históricas de importância não somente para a França, mas mundial. Orléans viveu um longo cerco feito pelos ingleses na chamada Guerra dos Cem Anos, realizada de 1337 a 1453.

Um dos episódios mais conhecidos desta guerra é a vitória francesa liderada por uma camponesa de 19 anos chamada Joana, que convenceu Carlos, então aspirante a rei, a lhe entregar o comando de um exército. A cidade apresenta, atualmente, diversas informações sobre Joana D´Arc, como passou a ser conhecida a jovem, inclusive fazendo uma festa anual, no dia 1º de maio, que reconstitui a passagem histórica.

Em outra cidade da região, Amboise, está o Château Royal, local onde está enterrado o cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico Leonardo da Vinci. Há, também, um parque que leva o nome do ícone renascentista.

Veja fotos da comitiva e suas respectivas áreas de atuação no álbum anexo. Mais informações sobre os 19 castelos da região no site: www.castelosdoloire.com.br.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA