ENTRETENIMENTO

Operadores se mexem para salvar temporada de neve

Netto Moreira
Pucci, Ferraz e Leone e, acima, o centro de Bariloche ontem
A temporada de neve no Chile e na Argentina está comprometida pelas cinzas do vulcão Puyehue que, apesar de chileno, complica a temporada na Argentina. Já no Chile, o maior problema é mesmo a neve, que insiste em não cair como já deveria neste início de temporada. Mas as operadoras brasileiras seguem otimistas e buscam soluções, como o atraso no início dos charteres e o envio de passageiros para os EUA, para onde, em algumas das empresas, sobram lugares.

No Chile, quando o tema é o vulcão, o discurso é o de que nada mudou, visto que as cinzas não chegaram às principais estações do país. “Não houve nenhuma consequência direta, estamos totalmente preparados”, comenta o gerente de Mercado Brasil do Valle Nevado Ski Resort, Victor Pucci. No entanto, a 15 dias do início da temporada, a neve ainda não caiu por lá. E como o vulcão está em solo chileno, ainda não se sabe se isso vai atrapalhar a decisão dos esquiadores em relação ao Chile.

Na Argentina, Bariloche sofre com as cinzas vulcânicas que, conforme mostrado pelo noticiário, vêm encobrindo as montanhas da estação. De qualquer forma, Bariloche confirmou a abertura da temporada para este fim de semana.

Por conta do panorama, a Fênix cancelou os voos de 25 de junho e de 2, 3, 9 e 10 de julho, mas os demais permanecem, até 13 de agosto. Segundo o gerente comercial Odálio Nunes, a empresa está oferecendo aos passageiros prejudicados a troca por outros destinos ou uma carta de crédito. "Também há possibilidade de eles irem nos voos regulares para a Argentina."

A Tam Viagens cancelou dois voos marcados até 2 de julho e manteve os agendados a partir de 9 de julho – são três voos semanais até 6 de agosto e entre 13 de agosto e 10 de setembro. “Mas tudo vai depender do que vier acontecer nos próximos dias”, comenta o diretor da operadora, Sylvio Ferraz. Segundo ele, a empresa sugere que os passageiros afetados migrem para os voos mantidos para Bariloche ou escolham outros destinos, como Estados Unidos e Europa, principalmente.

Aldo Leone Filho, da Agaxtur, acha que apenas no final da próxima semana se terá uma visão mais concreta de como será a temporada. Ele não acredita que o problema com o vulcão se estenda, mas por precaução, a Agaxtur, que tem dois aviões fretados para Bariloche, adiou o início dos voos em duas semanas, para 16 de julho. Ou pode embarcar os passageiros para os Estados Unidos. Mas vale ressaltar que Leone não desistiu de Bariloche, porém precisa atender os passageiros que haviam reservado o fim de junho ou início de julho para sua viagem de férias.

A CVC também adiou a primeira saída de seus fretamentos, que agora começam em 8 de julho. Segundo a operadora, o objetivo é dar tempo para a cidade se a arrumar. Veja cobertura completa sobre o tema na próxima edição do Jornal PANROTAS, que circula terça-feira em edição impresa e a partir de hoje no fim da tarde em versão digital aqui no Portal PANROTAS.


*Fonte: Colaboraram Artur Luiz Andrade e Fabíola Bemfeito

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA