Preocupada, WTM diz que AL está aberta ao estrangeiro

|

Emerson Souza
Lawrence Reinisch, diretor da WTM Latin America
Lawrence Reinisch, diretor da WTM Latin America
Em meio a medidas polêmicas do presidente norte-americano, Donald Trump, em dificultar (e, em alguns casos, barrar) a entrada de estrangeiros nos Estados Unidos, o diretor da WTM Latin America, Lawrence Reinisch, garantiu aos expositores de outros países que a América Latina está aberta e determinada a receber turistas de todas as partes do mundo.

“A América Latina é uma região hospitaleira e receptiva, e isso se reflete em todos os aspectos, da língua à culinária. Esta região está se tornando um porto seguro contra os muitos preconceitos da humanidade, como o racismo e a liberdade religiosa”, ressaltou ele, completando que o compromisso da feira é auxiliar o Turismo a se desenvolver, gerar negócios, empregos e oportunidades. “Só assim teremos um mundo mais justo.”

Já a presidente da Braztoa, Magda Nassar, que este ano realiza o 47º Encontro Comercial Braztoa dentro da WTM, enalteceu o trabalho das operadoras associadas, que no último ano movimentaram R$ 11,3 bilhões em viagens, crescimento de 3% em comparação com 2015. Para a dirigente, alcançar este número em meio a uma “crise profunda” é tarefa para poucos.

Emerson Souza
Magda Nassar, presidente da Braztoa
Magda Nassar, presidente da Braztoa
“Nós trazemos muita receita para o País, e aí está a prova. Os passageiros que visitaram o Brasil e o mundo por meio das empresas associadas à Braztoa deixaram outros R$ 11 bilhões na economia. O que precisamos neste momento é de diálogo com o poder público para resolver problemas que barram o nosso crescimento. Estou falando de ISS, bitributação, Lei Geral do Turismo, promoção no Exterior, segurança pública... enfim, a política precisa ter olhos para a nossa indústria”, exigiu Magda.

Em seu último discurso como presidente da entidade, Magda Nassar (a entidade deixará de ter a figura de um presidente, função que será feita pela CEO Mônica Samia) destacou as ações da Braztoa na WTM, como o Passaporte Braztoa, que no último ano gerou R$ 51 milhões em incentivos, e o projeto Experiências Braztoa, que este ano promete rodar o País novamente para capacitar agentes de viagens.

“Renovação, criatividade, sustentabilidade, responsabilidade. A cadeia de viagens tem de ter isso sempre em mente para sobreviver.”
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA