Empresas reclamam da burocracia em pesquisa da Alatur

|

PANROTAS / Emerson Souza
Na home, Tiago Passos (Grupo Alatur) e Ivani Rossi, responsável pela pesquisa; acima, vista geral do evento, realizado hoje pela manhã no hotel Intercontinental São Paulo
Na home, Tiago Passos (Grupo Alatur) e Ivani Rossi, responsável pela pesquisa; acima, vista geral do evento, realizado hoje pela manhã no hotel Intercontinental São Paulo
O Grupo Alatur divulgou hoje, durante o primeiro Workshop de Mobilidade Corporativa da empresa, uma pesquisa inédita sobre os principais desafios dos gestores de Frotas, Gastos, Expatriados e Videoconferência das empresas. A burocracia, que aparece de várias formas, é um dos problemas que os gestores mais reclamam. O estudo foi encomendado pelo grupo junto à consultoria Ivani Rossi Conhecimento Aplicado a Negócios.

A pesquisa foi feita em setembro passado, com 117 empresas. Por exemplo, quando o assunto é expatriados, há uma média de 20 expatriados nas companhias pesquisadas. A burocracia é apontada como a maior dificuldade para o gestor (50%) nessa questão.

“Além de verificarmos estatisticamente os problemas enfrentados no dia a dia por esses executivos, apresentaremos as soluções do Grupo Alatur para cada área a fim de demonstrar que para obter sucesso nessas áreas é fundamental com o apoio de parceiros com expertise para oferecer o suporte necessário”, diz o diretor de Mobilidade Corporativa do grupo, Mateus Passos.

“A pesquisa nos trouxe dados e informações preciosas. Demanda há e vai nos ajudar a tirar os nós dos gargalos existentes nas quatro áreas”, afirma Passos.

FATURAR EM 2013
O departamento de Mobilidade Corporativa inicou operações em fevereiro deste ano. “Até o momento, avaliamos como um período de consolidação junto aos nossos parceiros. Em uma outra frente, estamos explicando aos clientes o que é, como funciona, quem são nossos parceiros etc no departamento”, explica Passos. “O próprio workshop faz parte da estratégia”, emenda o diretor.

Segundo o executivo, a meta a partir do segundo ano de trabalho do departamento é “fazer dinheiro, vender nossas soluções”. Até o momento o segmento não tem clientes, mas “boa parte dos que são atendidos pelo Grupo Alatur demonstrou interesse”, finaliza ele.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA