Mais sabor e menos perda são pontos altos da Brasil Gourmet

|

PANROTAS / Emerson Souza
Marcelo Costa mostrou para a nossa reportagem o peito de frango com arroz de brócolis e purê de batata, de 450 g, que foi preparado em menos de um minuto no microondas
Marcelo Costa mostrou para a nossa reportagem o peito de frango com arroz de brócolis e purê de batata, de 450 g, que foi preparado em menos de um minuto no microondas
A Brasil Gourmet, de soluções de alimentação com alta tecnologia, foi recentemente homologada pela Accor para atender os hotéis Ibis. Por conta disso, a empresa preparou um cardápio especial com 26 pratos, que inclui sopas, cremes, massas, aves, carnes, suínos, pescados e frutos do mar, com seus acompanhamentos, com preços a partir de R$ 7,09 a porção (valor para estrogonofe de frango, arroz branco e batata palha), e já trabalha na criação de um cardápio 24 horas para outras marcas da Accor, como a Mercure.

Especializada no fornecimento para redes de hotéis e restaurantes, a solução empregada pela Brasil Gourmet é a tecnologia sous vide, método a vácuo desenvolvido na França e que permite cozinhar o alimento em baixa temperatura, já embalado, e por longo tempo, o que preserva o seu sabor, garante sua durabilidade e conservação. A comida já é enviada totalmente pronta para o estabelecimento, que só precisa aquecê-la usando o método de sua preferência – banho-maria ou microondas entre eles.

Marcelo Costa, diretor comercial da Brasil Gourmet, destaca alguns pontos altos dos produtos, entre eles a baixa perda, já que a comida, depois de descongelada, dura sete dias na embalagem, o que permite a um restaurante ou hotel trabalhar muito bem com as altas e baixas da clientela. “Se não vender no dia em que abriu, o estabelecimento tem ainda seis dias para vender o prato, se ele já tiver sido descongelado e aberto”, conta.

O executivo também destaca outros itens, como a preservação do sabor, já que o alimento é cozido embalado, preservando todo o seu suco e sabor; a higiene e segurança alimentar, já que o produto, ao ser cozido na embalagem, evita que se toque na comida. E ainda a questão da duração, já que os pratos podem ser congelados por longos períodos, de até um ano, como explica Costa.

“Além da perda muito pequena, considerando a versatilidade do processo, outra vantagem é a redução do pessoal envolvido na preparação dos pratos, já que eles chegam prontos”, detalha o diretor. “Por isso, a relação custo-benefício é favorável e temos tido essa boa aceitação”, continua. A quantidade da porção é determinada pelo estabelecimento, explica Marcelo Costa. “Com isso, o restaurante consegue ter seu custo mais determinado”, diz.

A Brasil Gourmet tem, além de Marcelo Costa no comando da área comercial, o francês François Mallard à frente da diretoria Industrial. Chef, ele tem 20 anos de experiência na preparação de produtos com a tecnologia sous vide. A empresa tem sede em Juiz de Fora, Minas Gerais e, em breve, ganha loja própria, uma rotisserie piloto que será aberta na cidade mineira para, em seguida, dar início a franquias em todo o Brasil. Por ora, o envio é feito a partir da sede com acréscimo de R$ 1,50 o quilo para as regiões mais distantes.

“Queremos continuar usando a tecnologia em favor da gastronomia, o que permite uma comida com sabor, qualidade e durabilidade muito superiores ao da cozinha industrial regular”, conclui Costa, que esteve no Fórum de Formação em Compras da Accor, na semana passada, em São Paulo, mostrando as vantagens da tecnologia sous vide e o cardápio preparado para a marca Ibis. Para falar com a Brasil Gourmet, acesse www.brasilgourmet.ind.br.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA