Uber acusa prefeitura de São Paulo de criar caos urbano

|


Divulgação/Uber
A Uber acusou a Prefeitura de São Paulo de promover "insegurança jurídica" com a nova regra para aplicativos de transportes na cidade. Ainda segundo a empresa dona do aplicativo, a medida, que é a 12ª alteração da legislação em menos de seis meses, além de contribuir para o aumento do "caos urbano", também irá punir os usuários com tarifas mais altas.

A mudança nas regras foi anunciada pela prefeitura na última segunda-feira (10) que, na alegação de evitar o monopólio do setor, estabelecerá um aumento na taxa paga pelos aplicativos de transporte.

Na nova legislação, as empresas pagarão R$ 0,10 por quilômetro somente até o limite de 7.541,67 quilômetros rodados numa hora. Acima disso, o valor sobe progressivamente, em seis faixas de cobrança, podendo chegar a R$ 0,40, caso passe dos 37.708,33 quilômetros por hora.

NOVA LEGISLAÇÃO
Km rodados por hora
Acréscimo no preço/km (em %)
Preço por km (em R$)
Até 7.541,67
00,1
7.541,68 a 15.083,33
100,11
15.083.34 a 22.625,00
300,13
22.625,01 a 30.166,67
600,16
30.166,68 a 37.708,33
1200,23
Acima de 37.708,33
3000,4

Até então, o aplicativo mantinha um bom relacionamento com a prefeitura, que regulamentou o serviço mesmo após a pressão contrária da categoria dos taxistas. No entanto, agora a Uber afirma que a taxação "cria um ambiente de insegurança jurídica que inibe a inovação" e que as novas regras "desvirtuam a sua própria regulação, inibindo a competição sadia, impedindo o uso mais eficiente dos carros e deixando a conta para o consumidor".
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA