TGK Travel aposta em pacotes com selo LGBTQ

|

Divulgação/ Cape Town International Airport
Cidade do Cabo é tendência na operadora
Cidade do Cabo é tendência na operadora
A TGK Travel decidiu apostar várias fichas no Turismo LGBTQ+ e iniciou uma campanha de Marketing pesada para atrair mais público desse nicho. Com o título “All are welcome” (todos são bem-vindos), a operadora desenvolveu uma ação completa que inclui o novo selo Pride, utilizado para identificar os pacotes gay friendly, e uma landing page que apresenta roteiros intitulados LGBT Tips, direcionando às atrações noturnas e culturais nos destinos.

“Assim como os segmentos de surfe, estudantes e luxo, quisemos abraçar esse público. Os pacotes nada mais são que os mesmos roteiros de aventura, cultura e gastronomia oferecidos para o público heterossexual, com o bônus de incluir as dicas preparadas exclusivamente ao turista gay”, explica o sênior designer e responsável pelo Marketing LGBTQ+ da operadora, Juliano Ferrari. Ainda não há monitoramento de consumo exato desses pacotes, mas a TGK espera mais informações através da nova página da web e perfis no Instagram e Facebook.

DESTINOS AMIGÁVEIS

Em meio ao cenário de intolerância em diversas regiões do globo, uma das preocupações da TGK é não indicar o viajante a lugares com políticas e religiões desfavoráveis. “Tomamos cuidado para não enviar esse cliente para destinos LGBTfóbicos, evitando que ele se sinta rejeitado ou mal recebido. Geralmente, as cidades que recomendamos possuem hotéis membros da Associação Internacional de Turismo LGBT (IGLTA) ou têm preparo para recebê-los de maneira acolhedora.”

Marcos Martins
Juliano Ferrari, em evento da IGLTA
Juliano Ferrari, em evento da IGLTA
De acordo com Juliano, os destinos mais comercializados da TGK são a Cidade do Cabo (com safáris em 4x4 e vinícolas), na África do Sul, além de Chile, Peru e Argentina, tratando-se de América do Sul. “Nas tendências, agora há muita procura por casamentos e lua-de-mel em destinos exóticos, como as ilhas de Seychelles e Polinésia Francesa, com o Taiti. No continente europeu, temos Viena, na Áustria, além do Sul da Itália e França”.

Outro ponto forte da empresa é o continente asiático, terra natal dos fundadores da operadora, com foco em Tailândia, China e Camboja, além de Japão, que foi considerado o novo destino LGBTQ+ pela IGLTA. “No país, trabalhamos com as cidades-chave Tóquio e Osaka, que têm bastante diversidade e elementos únicos.”

MERCADO CONSERVADOR

Um dos pontos que mais chamam atenção na indústria é a falta de agências e operadoras que se posicionam a favor do Turismo LGBTQ+, segundo Juliano. “Não consigo identificar nenhuma que tenha construído um approach específico para falar com esse público, a não ser a TGK. É algo pioneiro e espero que se estenda a outras empresas que ainda têm medo de serem estigmatizadas. Todas estão perdendo ao não darem atenção a esse nicho”, desabafa.

“O projeto está na empresa há seis meses, e não foi lançado até que conseguíssemos alinhar as estratégias e criar uma campanha, além da conversa com os setores de Produtos e Operações. Foi necessário um treinamento interno para que todos tivessem informação e conhecimento para tratar o assunto de forma mais respeitosa”. Juliano ainda reforça a importância de inclusão de todas as orientações sexuais e identidades de gênero dentro do Turismo. “Queremos atender a todos os públicos porque o sonho de viajar é de todos”, finaliza.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA