Embratur esclarece acordo para Escritório do Mercosul

|

A Embratur informou que não teve meios legais de contratar o profissional para o Escritório de Promoção Turística do Mercosul em Tóquio, segundo acusação realizada ontem pelo Ministério de Turismo da Argentina. O ministro argentino, Enrique Meyer, disse em comunicado que o Brasil não estaria cumprindo sua parte no acordo para instalação e manutenção do Escritório de Promoção do Mercosul em Tóquio.

“A contribuição brasileira ao escritório conjunto de promoção do Mercosul em Tóquio consistia na alocação de um profissional para trabalhar no local, feita por meio do contrato da Embratur para manter Escritórios Brasileiros de Turismo (EBTs) no Exterior”, explica a Embratur. “O fim do contrato foi seguido de três licitações sem que nenhuma empresa privada apresentasse interesse em prestar o serviço. Assim, a Embratur não teve meios, perante a legislação brasileira, de contratar profissional no Japão”, esclarece.

A Embratur diz ainda que acordou com a Argentina uma série de ações que superam, financeiramente, o valor que seria repassado, como a participação de todos os países do Mercosul na Jata, a principal feira de turismo do Japão, entre outras. “A Embratur também tem substituído a ação do escritório pelo trabalho de agências de relações públicas e de marketing digital, obtendo resultado satisfatório. De 2011 a 2012, período que coincide com as novas formas de promoção, o número de japoneses em visita ao Brasil aumentou em mais de 15%”, alega a Embratur.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA