Crise faz Tam cortar voos domésticos e funcionários

|

Netto Moreira
Claudia Sender, presidente da Tam
A Tam Linhas Aéreas anunciou na manhã desta segunda-feira, 20, que cortará de 8% a 10% de sua oferta doméstica, para adequar a empresa ao novo momento econômico do Brasil. "Diante de um cenário econômico desafiador no País, provocado pelo aumento da inflação e pela alta do dólar em relação ao real, resultando numa desaceleração do setor aéreo, a Tam começa, a partir de agora, uma redução gradual de suas operações no mercado doméstico que será, aproximadamente, de 8% a 10%. Isto implica na revisão do guidance de capacidade (ASK) no mercado doméstico brasileiro de 0% para uma contração de 2% a 4% em comparação com 2014", disse a empresa em comunicado.

Ou seja, a previsão de manter os números de 2014 foi substituída por uma queda de até 4% no doméstico. A Tam informa, ainda, que não deixará de operar em nenhum dos destinos onde hoje está presente.

A companhia também prevê a demissão de menos de 2% dos funcionários, "já incluindo a rotatividade natural da empresa". "Não haverá impacto nas equipes de tripulação, dado os planos de crescimento de médio prazo. A companhia dará apoio aos colaboradores impactados por meio de consultorias especializadas em recolocação profissional".

“A Tam está tomando esta medida para enfrentar um contexto econômico difícil no Brasil, por isso, se faz necessário buscar ajustes de malha sem prejudicar a conectividade dos nossos passageiros e fortalecendo ainda mais a nossa competitividade no País”, afirma Claudia Sender, presidente da Tam S.A. e da Tam Linhas Aéreas.

“Seguimos acreditando na retomada do crescimento do nosso País e essa adequação não afeta a estratégia de longo prazo da empresa, que inclui a renovação da frota, o projeto de estudo de viabilidade do hub Nordeste e de contínuo fortalecimento dos hubs (centro de conexões) de Brasília e São Paulo/Guarulhos”, finalizou.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA