Moreira: Zuanazzi está sendo linchado injustamente

|

Netto Moreira
O presidente da Federação Brasileira de CVBs, João Luiz Moreira, enviou nota oficial de desagravo à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Segundo ele, a Anac e seu presidente, Milton Zuanazzi, estão sofrendo “um verdadeiro linchamento” público, com o qual a federação não concorda. Moreira pede “serenidade” para lidar com a atual crise do setor. Moreira elogia o trabalho de Zuanazzi e da Anac, critica o teor de algumas declarações contra a agência e diz que “acreditamos na competência do presidente Milton Zuanazzi e na qualidade de sua equipe para levar a aviação comercial brasileira a um patamar de bom atendimento, pontualidade e segurança dos passageiros”.

Veja íntegra da nota.

"Nota oficial de apoio à Anac

A Federação Brasileira de Convention & Visitors Bureaux (FBCVB), assim como todo o povo brasileiro, acompanha com apreensão os desdobramentos da tragédia do vôo JJ 3054 em São Paulo. É preciso, no entanto, agir com serenidade, ainda que os fatores emocionais estejam presentes pela dimensão da perda de vidas humanas. Desde o dia posterior ao acidente, há uma tendência de politização da discussão, com críticas contundentes ao governo, embora ainda sejam desconhecidos os verdadeiros motivos do acidente.

Dentro deste contexto, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e seu presidente Milton Zuanazzi vêm sendo alvo de verdadeiro linchamento, com o qual não concordamos. A crise aérea também é uma crise de mercado, que teve início com a quase falência da Varig, cujos usuários passaram a ser atendidos por empresas regionais e novas companhias aéreas, que não tiveram a capacidade de suprir a demanda decorrente. Soma-se a isso o acidente com o avião do vôo GLO 1907, provocado pela irresponsabilidade de dois pilotos norte-americanos, o overbooking da Tam no final de 2006, que tantos transtornos causou aos passageiros brasileiros e estrangeiros e o apagão aéreo imposto pelos militares do Comando da Aeronáutica, responsáveis pelos controladores do tráfego aéreo.

Vale lembrar que a Anac, em apenas um ano e quatro meses de existência, tem agido com prudência, serenidade e energia no sentido de readequar a malha aérea ao crescimento de mercado ocorrido nos últimos três anos. Conforme faz prova o Decreto nº 5731, de 20 de março de 2006, que a regulamentou, os legisladores procuraram resguardar a diretoria dando-lhe meios jurídicos para não ficar a mercê de pressões acaloradas, externas e momentâneas, conferindo-lhe proteção e independência nas ações.

O curioso é que, neste momento, procura-se imputar à diretoria da ANAC, culpabilidade nos trágicos acidentes e na controladoria de vôo. Com absoluta certeza, essa alusão pérfida não pertence à agência. Acreditamos na competência do presidente Milton Zuanazzi e na qualidade de sua equipe para levar a aviação comercial brasileira a um patamar de bom atendimento, pontualidade e segurança dos passageiros.

Brasília, 27 de julho de 2007

João Luiz dos Santos Moreira
Presidente Federação de CVBs"
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA