Neeleman diz não querer guerra, mas está capitalizado

|

Netto Moreira
Frederico Curado, da Embraer, e David Neeleman, da Jet Blue
A empresa aérea brasileira de David Neeleman, fundador e chairman (não executivo) da americana Jet Blue, começará a voar com aviões 195 da Embraer em janeiro de 2009 e será a segunda companhia aérea mais capitalizada a iniciar operações em todo o mundo, perdendo apenas para a Virgin America, do bilionário Richard Branson, lançada no ano passado nos Estados Unidos, com US$ 170 milhões em caixa. A empresa, cujo nome será escolhido em votação no site www.voceescolhe.com.br, iniciará operações com US$ 150 milhões, US$ 15 milhões a mais que a Jet Blue, terceira nesse ranking.

“Não queremos tirar passageiro de ninguém e sim fazer crescer o bolo. Não queremos guerra de tarifas, mas se as concorrentes o fizerem, temos dinheiro”, afirma David Neeleman. Segundo ele, havia mais investidores interessados, mas ele decidiu que US$ 150 milhões seriam suficientes para esse início.

A proposta da empresa é reduzir tarifas em algumas rotas onde acredita-se que há espaço para isso, oferecer um serviço diferenciado (TV a bordo, poltronas mais largas, atendimento personalizado, processo fácil e fim das poltronas do meio), criar mercado oferecendo ligações entre cidades hoje mal servidas ou mesmo não servidas, e conquistar o passageiro pelos novos paradigmas que quer implantar. “Além do dinheiro que temos, será difícil tirar o passageiro que experimentar voar em nossa empresa”, disse Neeleman hoje na apresentação à imprensa brasileira.

Além do nome, ainda há outras etapas a serem decididas, como a forma de remuneração das agências, mas sabe-se que, a exemplo da Jet Blue, o foco será a venda pela internet, com diversificação de tarifas, para atrair os diferentes públicos. As aeronaves terão 118 assentos, o que levantou dúvidas sobre seu posicionamento no mercado: vai atuar em rotas regionais, criando mercados, mas também competir com os aviões maiores? A resposta pode estar nas cidades escolhidas, que serão reveladas somente mais para frente, para deixar os concorrentes ainda mais curiosos.

O diretor de Marketing da empresa, Gianfranco Beting, conhecido como Panda e com passagens por empresas como a Transbrasil, disse que a nova companhia quer “a qualidade em manutenção e operações da Varig, a agressividade da Gol e o marketing da Tam”. “E o sucesso da Jet Blue”, emendou David Neeleman.

LEIA MAIS
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA