Governador é contra ampliação dos vôos na Pampulha

|

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, é contra a retomada de vôos diretos partindo do Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, com destino a outras capitais do País e solicitou formalmente à Anac explicações sobre a possibilidade disso acontecer. Neves pronunciou seu descontentamento em entrevista realizada ontem (dia 14), no Palácio da Liberdade, na capital mineira. Os vôos nacionais foram retirados da Pampulha em 2005 e transferidos para o Aeroporto Tancredo Neves, em Confins. A informação é do governo mineiro.

“Eu não apenas pedi explicações, como manifestei formal e oficialmente a minha posição absolutamente contrária à tentativa de retornarmos ao passado em Minas Gerais, com retorno de vôos da Pampulha, diretos para outras capitais. Seria um desserviço ao planejamento estratégico, ao desenvolvimento que Minas Gerais vem vivendo”, afirmou Neves, após a solenidade de assinatura de decreto regulamentando os Acordos de Resultados e o Prêmio por Produtividade dos servidores estaduais.

O governador ressaltou que a transferência dos vôos da Pampulha para Confins possibilitou a reativação do Aeroporto Tancredo Neves, antes sub-utilizado, criando um hub (centro de distribuição de vôos), que tem permitido ligações diretas de Minas Gerais com a Europa e outras partes do mundo.

“Infelizmente, não houve ao longo de todos os últimos anos, de todo este governo, qualquer investimento da Infraero no Aeroporto da Pampulha e tão pouco no Aeroporto Tancredo Neves, em Confins. Na verdade, o governo federal, nesse aspecto, é devedor do nosso Estado. Fizemos, com recursos exclusivos do Estado, a Linha Verde, que está garantindo o acesso muito mais rápido ao Aeroporto Tancredo Neves, cuja renda é da Infraero, não é sequer do Estado. Não é possível que venha uma decisão unilateral, absolutamente contrária aos interesses do Estado”, finalizou o governador.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA