Leilão de aeroportos pode atrair operadores internacionais

|


PANROTAS / Emerson Souza
Para a ACI, o setor privado mantém interesse no transporte aéreo no Brasil pelo potencial de crescimento do mercado
Para a ACI, o setor privado mantém interesse no transporte aéreo no Brasil pelo potencial de crescimento do mercado
A Airports Council International da América Latina e Caribe (ACI-LAC) aguarda com otimismo a sexta rodada de concessão de aeroportos brasileiros, que será realizada nesta quarta-feira (7). "O Brasil teve e ainda tem um grande apelo para investidores internacionais, por isso não é surpreendente notar que é o País no mundo com maior presença de operadores aeroportuários internacionais", disse o diretor geral da ACI-LAC, Rafael Echevarne.

De acordo com Echevarne, o Brasil, assim como outros países da América Latina e Caribe, está em processo de reestruturação do mercado aeroportuário, e grandes operadoras que já participam do setor na região têm interesse em participar não apenas da sexta, mas também da sétima rodada de concessões, que ocorrerá em 2022.

O diretor-geral ressalta ainda que, neste momento de crise global gerada pela pandemia de covid-19, os investidores em infraestrutura estão mais atentos aos modelos de concessão apresentados nos processos licitatórios. O modelo de concessão em blocos que incluem grandes e pequenos terminais, como aconteceu na rodada anterior, tem sido utilizado em outras partes do mundo e na América Latina. "O México é provavelmente o exemplo mais conhecido em todo o mundo, que tem sido muito bem-sucedido. Neste país, o governo identificou 34 aeroportos para a sua licitação, que foram divididos em três grandes grupos, de nove a treze aeroportos, cada um liderado por um grande aeroporto", completa.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA