EMPRESAS

Avianca Brasil sobe em 30% taxa de despacho de bagagens; veja como fica

Arquivo PANROTAS
O Airbus 330 da Avianca Brasil, utilizado em algumas de suas rotas internacionais
O Airbus 330 da Avianca Brasil, utilizado em algumas de suas rotas internacionais

A Avianca Brasil aumentou em um terço, ou pouco mais de 30%, os valores cobrados por despacho de bagagem em voos domésticos. A partir de agora, nas rotas nacionais a inclusão de uma bagagem de até 23 quilos sairá pelo preço de R$ 40, R$ 10 a mais do que os R$ 30 cobrados anteriormente. A segunda sai por R$ 60, enquanto as demais custarão R$ 80 por peça.

Já a taxa da inclusão de bagagens após o prazo de seis horas antes do horário do voo sobe de R$ 60 para R$ 80 na primeira peça. Na segunda, são cobrados R$ 120 e na terceira e nas demais, R$ 160.

Vale lembrar que desde o ano passado a Avianca Brasil conta com uma noiva família de tarifas, divididas em Flex, Economy e Promo. A Flex inclui duas peças de 23 quilos, enquanto a Economy permite uma mala de mesmo peso sem custos - a Promo é a única que não inclui bagagens no valor da passagem, permitindo apenas uma peça de até dez quilos para levar a bordo do avião.

VOOS INTERNACIONAIS
Nos voos de ou para a Colômbia e Chile, os preços até seis horas antes do voo são de US$ 50 por bagagem; se adquirida dentro das seis horas anteriores, o preço sobe para US$ 100 dólares por peça - não há diferença, nesse caso, de primeira, segunda ou demais peças a mais.

Já nos voos para os Estados Unidos são cobrados US$ 92 por bagagem antes de seis horas do voo, e US$ 185 após esse prazo.

Lembrando que nos voos internacionais dentro da América Latina os clientes podem levar sem custos uma peça de até 23 quilos na classe econômica, e duas peças com mesmo limite de peso na cabine executiva. Já a franquia para voos aos Estados Unidos é de duas peças de até 23 quilos, em classe econômica, e três peças na classe executiva.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA