EMPRESAS

Era dos aviões turboélices chega ao fim nos Estados Unidos

Bombardier/ Divulgação
Bombardier Q-400 da Horizon Air, subsidiária do Alaska Air Group
Bombardier Q-400 da Horizon Air, subsidiária do Alaska Air Group
Não é todo mundo que se sente confortável voando com uma hélice girando do lado da sua janela no avião, e nos Estados Unidos, aparentemente, nenhum passageiro passará por essa situação daqui para frente. Nesta quarta-feira (4), foi realizada a última viagem comercial de uma aeronave turboélice no país, pelo menos operada por uma das três gigantes ou suas afiliadas.

O último voo com um avião do tipo foi realizado por um Bombardier Dash 8 da Piedmont Airlines, subsidiária da American, que pousou na cidade de Salisbury, em Maryland. O modelo já era usado pela companhia aérea regional desde 1985.

A decisão da American Airlines segue a mesma linha desenvolvida por Delta e United, que também retiraram seus aviões turboélice de circulação. No caso da última, o voo final foi realizado no dia 31 de maio e terminou na remota ilha de Guam, que fica ao leste das Filipinas e pertence aos Estados Unidos.

As rotas operadas por esses modelos pela Delta e United já foram substituídas, basicamente, por aeronaves a jato da Bombardier e da Embraer. No caso da American, o voo que pousa em Salisbury, por exemplo, será operado pelo modelo 145 da Embraer.

Apesar da modernização implementada pelas três gigantes da aviação norte-americana, os aviões turboélices ainda poderão ser vistos pelos céus dos Estados Unidos, uma vez que companhias menores como a Horizon Air e a Empire Airlines, ainda utilizam aeronaves como o Bombardier Q-400 e o ATR 42-500.


*Fonte: Bloomberg

conteúdo original: https://bloom.bg/2NrnvQu
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA