EMPRESAS

Gol aumenta diária média e receita líquida no terceiro tri

Emerson Souza
"Esperamos continuar a impulsionar a nossa eficiência operacional e racionalização da oferta", diz o presidente da Gol, Paulo Kakinoff
Após contar com altas no lucro operacional (Ebit) de 97,4% no primeiro trimestre, e 92,7% no segundo, a Gol Linhas Aéreas fechou o período entre julho e setembro com lucro operacional de R$180,5 milhões, uma redução de 44,5% em na comparação ao mesmo trimestre de 2017 (R$ 325,4 milhões). Por outro lado, a Gol destaca que trata-se de seu nono trimestre consecutivo com lucro operacional; ou seja, desde o segundo trimestre de 2016 a empresa não tem resultado negativo neste critério. Além disso, a companhia lembra que o preço médio do combustível de aviação seguiu em ascensão no período, com alta de 3,7% contra o segundo trimestre do ano.

DEMANDA VAI BEM
Se por um lado os resultados financeiros da Gol ficaram no azul, mas em queda na comparação ano a ano, por outro a demanda contou com bons números: o RPK aumentou 2,2% no terceiro trimestre, principalmente devido ao crescimento de 4,5% no número de passageiros transportados.

Combinado com o aumento de 4,2% da tarifa média, que passou de R$ 299 para R$ 312, a alta de demanda resultou em uma receita líquida total de R$ 2,9 bilhões no período, um crescimento de 8,3% também na comparação ano a ano.

A taxa de ocupação média, enfim, ficou em 79,1% no trimestre, uma redução de 1,1 ponto percentual.

"Esperamos continuar a impulsionar a nossa eficiência operacional e racionalização da oferta. Em agosto, recebemos nossa segunda aeronave 737 Max 8. O Max 8 permitirá à Gol servir o grande mercado endereçável de passageiros viajando entre o Centro-Oeste e Nordeste brasileiro e o Estado da Flórida", comentou o presidente da companhia, Paulo Kakinoff.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA