EMPRESAS

CEO da Latam comenta participação majoritária dos chilenos


Emerson Souza
Jerome Cadier, CEO da Latam Airlines no Brasil
Jerome Cadier, CEO da Latam Airlines no Brasil

A Latam Brasil só tem a ganhar a partir do momento em que o Cade aprovar os 51% de controle acionário dos chilenos do Grupo Latam. Aliás, poucas ou quase nenhuma mudança será sentida pelo mercado e pelo cliente depois que a participação majoritária for assinada. Quem esclarece é o CEO da companhia brasileira, Jerome Cadier.

LEIA TAMBÉM:

Renovado, Club Latam premia as melhores parceiras da aérea em 2018
Gerente para Consolidadoras e gerente Digital deixam Latam

“Nada muda em termos de estratégia, na dinâmica dos negócios. Nada muda administrativamente. As tomadas de decisão seguirão no mesmo sentido, pois o conselho é o mesmo, os comitês são os mesmos”, aponta o CEO. “O anúncio é positivo ao passo em que alguns processos internos serão menos burocráticos, mas para os parceiros e passageiros Latam a situação é a mesma”, completa Cadier.

NOVAS CABINES

O que de fato melhorará a experiência do passageiro e naturalmente será traduzido em vendas ao mercado é a renovação de cabines de US$ 400 milhões pronta para entrar em cena este ano. Ao menos essa é a grande aposta do dirigente, endossada por alguns dos maiores parceiros da Latam Brasil.

“Esse é o principal pedido dos comitês criados pela Latam para ouvir suas maiores distribuidoras”, afirma um dos membros destes grupos de discussão e diretor da Rextur Advance, Luciano Guimarães. “A Latam reconhece que precisa desse upgrade no produto há anos e vai entregá-lo. É essencial, entretanto, que saiba comunicar esses avanços ao passageiro final. Depois disso, a companhia se vende sozinha, afinal, tem todo o respeito do consumidor brasileiro. É o que todos desejamos.”

Uma das agências de viagens corporativas que mais vendeu Latam em 2018, a Maringá Turismo reforça o discurso de Guimarães. “A aérea sabe que essa tem de ser sua prioridade para reconquistar o passageiro que viaja a trabalho, um cliente extremamente sensível a conforto”, afirma o vice-presidente do Grupo Arbaitman, Siderley Santos. "Confiamos em seguir forte em venda de Latam, companhia que tanto respeitamos e com quem gostamos de trabalhar."
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA