EMPRESAS

United revisa estrutura da Avianca Holdings após calote

|


Reprodução/Avianca
Empréstimo não foi pago à companhia norte-americana
Empréstimo não foi pago à companhia norte-americana
A United revelou planos de estender um empréstimo para a Avianca Holdings, baseada na Colômbia, após as duas empresas concordarem sobre uma reforma na liderança, que envolvia a perda dos direitos de voto do maior acionista da Avianca.

Segundo a Air Transport World (ATW), a revisão da administração veio depois que o ex-CEO da Avianca, Hernan Rincon, renunciou em abril. O abalo foi motivado pela inadimplência de um empréstimo de US$ 456 milhões da United pela acionista majoritária BRW Aviation, uma subsidiária da Synergy Aerospace Corp, que detém 78,1% das ações ordinárias da Avianca. A BRW é de propriedade do empresário boliviano Germán Efromovich.

"Embora a Avianca continue a ser uma empresa independente e continue a administrar sua própria companhia aérea, a United apoia fortemente o foco de toda a empresa na transformação", disse uma porta-voz da United à ATW, em comunicado. “À medida que avançamos com nosso acordo comercial conjunto com a Avianca e a Copa, que é separado da ação de hoje, veremos melhores benefícios para nossos clientes e para nossa empresa se a Avianca for um parceiro confiável e bem-sucedido.”

Após a quebra do empréstimo garantido à BRW, a United designou a Kingsland Holdings Limited, que detém 21,9% da Avianca e é o maior acionista minoritário da transportadora, para exercer os direitos de voto da BRW. Isso culminou na saída de German Efromovich do poder do conglomerado colombiano.

Em arquivo com a Securities and Exchange Commission, dos Estados Unidos, a Avianca disse que a United e a Kingsland indicaram que estariam dispostos a estender até US$ 250 milhões para a Avianca como resultado da revisão da liderança.


*Fonte: Air Transport World

conteúdo original: https://bit.ly/2WDAxBK
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA