EMPRESAS

Kakinoff diz que Azul cria uma falsa imagem na briga por slots

O presidente da Gol, Paulo Kakinoff, decidiu responder publicamente a forma que o presidente da Azul, John Rodgerson, vem atuando em relação a disputa pelos ativos da Avianca Brasil, que está em recuperação judicial desde dezembro de 2018. Em entrevista ao jornal O Estado De São Paulo, Kakinoff disse que a Azul está criando uma falsa imagem, junto à população, de que se ela tivesse mais slots em Congonhas os preços das passagens cairiam.

Emerson Souza
Paulo Kakinoff, presidente da Gol
Paulo Kakinoff, presidente da Gol

“Isso é uma falácia repetida para influenciar a opinião pública e os órgãos reguladores. Nossas discussões para adquirir os ativos da Avianca se iniciaram antes mesmo do pedido de recuperação judicial”, afirmou o presidente da Gol. Ainda de acordo com Kakinoff, a posição da Azul decorre da sua própria frustração, que acreditava que iria se apropriar das posições pagando muito pouco ou quase nada.

O presidente da Gol afirmou ainda que sua companhia nunca deixou de aceitar a reacomodação dos passageiros da Avianca. Segundo ele, foram mais de 43 mil clientes embarcados desde dezembro, com custo superior a R$ 10 milhões.

“E realmente tivesse interesse, a Azul já estaria operando na ponte aérea, independentemente da recuperação judicial da Avianca. A Azul não opera na ponte aérea por uma questão comercial própria, e não por não dispor dos horários. Esse tema da ponte aérea é uma cortina de fumaça para invalidar a regra vigente de distribuição de slots”, disse Kakinoff.


*Fonte: O Estado de SP

conteúdo original: https://bit.ly/2MBU6qs
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA