American também seguirá até setembro sem demissões

|


Divulgação
Subsídios à American devem ser usados para manter empregos e salários até 30 de setembro
Subsídios à American devem ser usados para manter empregos e salários até 30 de setembro
A American Airlines espera receber um auxílio de US$ 12 bilhões como parte do plano de assistência financeira do governo dos Estados Unidos para companhias aéreas durante a pandemia de coronavírus. De acordo com o CEO Doug Parker e o presidente Robert Isom, as condições para o auxílio incluem a proibição da companhia de demitir seus funcionários ou reduzir o salário por um período de seis meses. No entanto, a ajuda não impede que o grupo adote outras medidas de contenção de custos. O anúncio é similar ao que fez a concorrente United Airlines na semana passada.

"Esse fundo será usado para permitir a continuidade do serviço essencial prestado e para preservar empregos. Estamos confiantes de que ele nos permitirá passar por essa crise, mesmo que ocorra o pior cenário", afirmaram os executivos. Com a maioria dos voos cancelados há algumas semanas, a American Airlines propõe um plano de partida voluntária para seus funcionários e abre a possibilidade de eles se aposentarem antecipadamente, oferecendo o pagamento de um salário parcial.

O governo norte-americano disponibilizou US$ 50 bilhões para o setor aéreo, como parte dos mais de US$ 2 trilhões do plano de resgate econômico dos EUA. Os subsídios devem ser usados para manter os empregos e salários até 30 de setembro. Além disso, após a crise, as companhias aéreas devem continuar atendendo aos mercados para os quais voaram até 1º de março.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA