Acionistas da Lufthansa aprovam plano de resgate estatal

|


Divulgação
Em maio, a companhia anunciou prejuízo de um milhão de euros por hora
Em maio, a companhia anunciou prejuízo de um milhão de euros por hora
Nesta quinta-feira (25), os acionistas da Lufthansa votaram em aceitar um resgate de 9 bilhões de euros do governo alemão. O acordo prevê que a companhia deixe de operar em alguns horários nos principais aeroportos e que o governo alemão tenha uma participação no capital da empresa.

"Estamos longe de uma recuperação rápida. Nossos fundos não serão capazes de cobrir a necessidade de liquidez. A insolvência está se aproximando se não concordarmos com este plano de estabilização", afirmou o CEO da Lufthansa, Carsten Spohr.

De acordo com o portal Simple Flying, mais de 36% dos acionistas da companhia votaram na assembléia geral extraordinária e a medida foi aprovada com mais de 98% dos votos. Como resultado, a Lufthansa não precisará buscar proteção contra falência. No início de maio, a companhia declarou que estava perdendo cerca de um milhão de euros por hora devido à crise causada pelo novo coronavírus.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA