Na Suíça, profissionais vivenciam facilidade de comprovar vacinação

|


PANROTAS / Rodrigo Vieira
Primeiro dia de famtur na Suíça tem viagem de trem de Zurique a Lausanne. Operadores e agentes contam com o Swiss Travel Pass (veja mais fotos no álbum no fim da nota)
Primeiro dia de famtur na Suíça tem viagem de trem de Zurique a Lausanne. Operadores e agentes contam com o Swiss Travel Pass (veja mais fotos no álbum no fim da nota)
LAUSANNE, SUÍÇA - Dos sete profissionais convidados pelo Switzerland Tourism para o famtur na Suíça, a maioria não conhecia o país, mas mesmo quem teve o privilégio de voltar reconhece que reforçar os treinamentos para um destino tão enriquecedor nunca é demais, ainda mais com o protagonismo que os suíços estão tendo ao abrir suas fronteiras a vacinados com CoronaVac e todas as outras aplicadas no Brasil.

Os operadores e consultores de viagens desembarcaram do voo da SWISS às 10h30 da manhã em Zurique. O primeiro ato da viagem talvez tenha sido o mais importante nesses dias que ficarão aqui: passar pela fronteira. É impossível negar o frio na barriga no momento de falar com as autoridades em tempos como esse, de pandemia. Por mais que estivessem seguros de que seriam aceitos com a carteirinha, aquela impressa do SUS, em português, retiradas no posto de saúde, com as duas doses escrito CoronaVac ou Butantan, bate a apreensão até o carimbo do passaporte.

A tranquilidade veio logo após os minutos na fila (o B777 da SWISS veio cheio). Alguns com ConecteSus, outros com a carteirinha impressa, seja doses única da Janssen, vacina chinesa ou Pfizer, todos entraram sem qualquer problema e, abaixo de um sol aprazível, logo embarcaram de trem para Lausanne. As pouco mais de duas horas de viagem na primeira classe do trem foram de um bate papo produtivo e descontraído entre colegas de profissão. Nas janelas, um pouco de arranha-céus e, depois, vacas, carneiros, cervos, campos, gramados, montanhas, rios e lagos.

SWISS TRAVEL PASS
Este foi o primeiro privilégio concedido por um dos parceiros da viagem, o Swiss Travel Pass, que segundo os profissionais da viagem é um produto obrigatório a seus passageiros, ao menos os que preferem não pegar carro. O passe permite conhecer a Suíça de ponta a ponta de trem, ônibus e barco – e em três, quatro, oito ou 15 dias consecutivos ou flexíveis. Também permite os meios de transporte público em mais de 90 cidades e entrada gratuita em mais de 500 museus.

Aqui em Lausanne, os profissionais estão hospedados no Royal Savoy Hotel & Spa Lausanne. Mais detalhes você acompanha amanhã.

O Portal PANROTAS viaja a convite do Switzerland Tourism, voando SWISS, com seguro viagem GTA, incluindo proteção contra covid-19.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA