Air Canada volta a operar hoje (3) rota entre SP e Toronto

|

Divulgação
Air Canada volta a operar hoje (3) rota entre São Paulo e Toronto
Air Canada volta a operar hoje (3) rota entre São Paulo e Toronto
A Air Canada acaba de anunciar, em coletiva de imprensa, que o voo entre São Paulo e Toronto, no Canadá, volta a ser operado hoje (3). A princípio, serão três serviços por semana (às terças, sextas e domingos), que aumentarão para quatro em 1º de novembro e passarão a ser diários em 2 de dezembro. O país canadense abrirá as fronteiras para brasileiros e visitantes vacinados – com as doses aprovadas no destino: AstraZeneca, Pfizer, Janssen e Moderna – de todo o mundo na próxima terça-feira (7).

Operada com aeronaves Boeing 787, que contam com classe executiva, premium economy e economy, a retomada da rota – e também de Montreal, que voltará em 8 de dezembro – é uma das primeiras do sistema da companhia aérea a voltar com 100% da capacidade de 2019, mostrando a importância do mercado brasileiro.

BRASIL E AMÉRICA DO SUL
Segundo o vice-presidente de Vendas Internacionais da companhia, Virgílio Russi, o Brasil é um mercado chave para a operação da transportadora, sendo o terceiro maior de estudantes no Canadá. Por isso, a estimativa da retomada da rota é muito positiva, com o período letivo iniciando em setembro.

“Desde o anúncio, vimos um aumento de reservas bastante forte. Em setembro, o voo está completamente lotado e, em outubro, está quase também. Por isso estamos pensando em retomar 100% da nossa capacidade em relação a 2019 até o fim deste ano”, conta.

Reprodução
Virgílio Russi, vice-presidente de Vendas Internacionais da Air Canada
Virgílio Russi, vice-presidente de Vendas Internacionais da Air Canada
Na América do Sul, a aérea vai reiniciar a rota para Bogotá, na Colômbia, ainda neste mês e, até o fim do ano, deve retomar os voos para Santiago, no Chile, e Buenos Aires.

RESULTADOS FINANCEIROS
Durante o encontro virtual, Russi também trouxe alguns resultados financeiros referentes ao segundo trimestre de 2021. As receitas operacionais da aérea neste período foram de US$ 837 milhões, um aumento de 60% em relação ao mesmo trimestre do ano passado.

O prejuízo operacional foi de US$ 1,1 bilhão – em 2020, a perda foi de US$ 1,5 bilhão. Além disso, a perda diária de caixa registrou US$ 8 milhões. Segundo Russi, este é um bom resultado, já que no ano passado, na mesma época, a perda era de US$ 1 milhão por hora.

A capacidade da empresa chega hoje a 40% do que estava antes da pandemia de covid-19, com um volume de vendas registrado entre 40% e 45%.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA