Reabertura do Canadá retoma 682 rotas aéreas domésticas e internacionais

|


Divulgação
Willie Walsh, diretor geral da Iata
Willie Walsh, diretor geral da Iata
A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) comemorou a decisão do governo canadense de flexibilizar as restrições à entrada de visitantes estrangeiros, aceitando os 100% vacinados a partir de 9 de agosto (para americanos) e 7 de setembro (demais nacionalidades). Os cidadãos e residentes canadenses 100% vacinados já podem entrar no país sem cumprir quarentena desde 5 de julho.

"A decisão do governo canadense é uma ótima notícia em várias frentes. Primeiro e mais importante, ela restaura a liberdade de viajar, o que será muito festejado por aqueles proibidos de visitar familiares e amigos. Além disso, companhias aéreas podem começar a reconstruir sua conectividade internacional. Isso será um grande impulso na reconstrução da economia canadense, principalmente na contribuição das viagens internacionais e corporativas. Mesmo assim, pedimos às autoridades que considerem a mais recente recomendação da Organização Mundial da Saúde em relação à flexibilização também para os que não puderam ser vacinados", disse o diretor geral da Iata, Willie Walsh, ex-CEO da British Airways e do Grupo IAG.

A reabertura das fronteiras canadenses para visitantes estrangeiros permitirá que as empresas aéreas tragam de volta cerca de 682 rotas domésticas e internacionais, que foram perdidas durante a pandemia. Haverá ainda um início de geração de divisas, estimadas em 19 bilhões de dólares canadenses por ano, ajudando a manter 432 mil empregos e contribuindo com 14 bilhões de dólares canadenses para o PIB do país. Uma dessas rotas que voltarão a ser operadas seráentre São Paulo e Toronto, pela Air Canada, a partir de 2 de setembro (Canadá-Brasil) e 3 de setembro (Brasil-Canadá).
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA