VoePass inicia certificação para operar aeronaves de maior porte

|

A VoePass Linhas Aéreas, representada pelas empresas Passaredo e MAP, iniciou o processo de inclusão em suas operações das aeronaves fabricadas pela companhia norte-americana Boeing, modelos 737- 700 NG e 737- 800 NG, com capacidade de 144 e 180 assentos.

Divulgação
A VoePass iniciou o processo de inclusão em suas operações das aeronaves fabricadas pela companhia norte-americana Boeing, modelos 737- 700 NG e 737- 800 NG
A VoePass iniciou o processo de inclusão em suas operações das aeronaves fabricadas pela companhia norte-americana Boeing, modelos 737- 700 NG e 737- 800 NG
A companhia atualmente opera com uma frota de 15 aeronaves regionais turboélices modelos ATR 42 e ATR 72, com capacidade de 48 a 70 passageiros. A inclusão das aeronaves a jato de maior porte na malha visa adequar a oferta e performance da companhia aérea ao tráfego do Aeroporto de Congonhas.

"Entendemos que o ajuste da frota, com a inclusão de um equipamento de maior capacidade, irá complementar nossa estratégia de atendimento de mercados regionais de médio porte, potencializando as operações no Aeroporto de Congonhas", diz o CEO da aérea, Eduardo Busch.

A empresa ainda destaca a oportunidade de aumentar sua participação no Aeroporto de Congonhas. O terminal deverá passar por um processo de ampliação do número atual de operações diárias, gerando a criação de um novo banco de slots e sua consequente distribuição.

"Estamos investindo para certificar o Boeing 737 em nossas operações, acreditando na recuperação da economia e do setor de Turismo em nosso País. Já estamos nos preparando para acompanhar as oportunidades de ampliação nas movimentações do Aeroporto de Congonhas, que é um passo fundamental em nosso plano de negócios, que se mantém focado no desenvolvimento e ampliação da malha aérea regional brasileira", ressalta o presidente da empresa, José Luiz Felício Filho.

A estimativa é que os voos comerciais com as novas aeronaves sejam programados para iniciar ainda no primeiro semestre de 2022. A quantidade de novas aeronaves a serem adquiridas será definida de acordo com as distribuições de slots, assim como a definição da malha aérea.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA