Air France participa de projeto para reduzir impactos ambientais

|

Divulgação
Air France, Atmosphère, Cerfacs, CGX, DSNA, Onera e Thales unem forças no projeto Octavie
Air France, Atmosphère, Cerfacs, CGX, DSNA, Onera e Thales unem forças no projeto Octavie
Para enfrentar o desafio global de atingir emissões líquidas de carbono zero até 2050, a indústria da aviação passou a otimizar as operações de voo e permitir que as companhias aéreas comerciais selecionem os planos de voo mais eficientes, seguindo rotas mais diretas e ajustando sua velocidade e altitude em tempo real. Estima-se que estas medidas poderiam reduzir as emissões de CO2 na Europa em cerca de 10% até 2025.

Preparando o caminho para este empreendimento, Thales, Air France, DSNA, Onera, Atmosphère, CGX e Cerfacs uniram forças no projeto Octavie, com mais de 700 mil euros em apoio financeiro da região francesa da Occitânia, para testar o conceito da Bandeira Verde em condições operacionais.

A partir do conceito de Bandeira Verde, desenvolvido para o estudo Provert por Thales, DSNA (provedor de serviços de navegação aérea da França) e Air France, as autoridades de controle de tráfego aéreo podem designar certas áreas do espaço aéreo como setores de Bandeira Verde durante períodos de tráfego moderado. Trabalhando em coordenação com os controladores de tráfego aéreo, os pilotos nestes setores serão capazes de adotar as práticas mais ecologicamente corretas, otimizando os parâmetros de voo (rota, altitude, velocidade) para minimizar o consumo de combustível e reduzir as emissões de gases de efeito estufa. O conceito depende do uso de ferramentas digitais colaborativas para simplificar a interação entre pilotos e torres de controle e garantir os mais altos níveis possíveis de segurança de voo.

Após testes de laboratório dos protótipos de soluções técnicas, o projeto passou para uma nova fase, realizando os primeiros testes em condições reais em dois voos da Air France entre Paris-Orly e Toulouse-Blagnac em março de 2022. Os testes demonstraram o valor do conceito da Bandeira Verde e sua capacidade de reduzir as emissões de CO2 enquanto otimiza a altitude e a distância.

Graças a uma interação mais fácil entre a cabine de comando e os centros de controle de tráfego aéreo, os pilotos foram capazes de manter a aeronave em velocidade de cruzeiro por períodos mais longos, e a tripulação pode adotar procedimentos de descida contínua para reduzir o consumo de combustível. Estes primeiros testes de voo produziram resultados promissores, que agora precisam ser consolidados para que o conceito da Bandeira Verde possa ser incorporado aos procedimentos de controle de tráfego aéreo em maior escala e de forma permanente, mesmo sob condições de tráfego denso.

"A descarbonização da aviação é um desafio-chave para todos os envolvidos no setor de transporte aéreo. O sucesso do projeto Octavie mostra como é crucial para todas as partes interessadas trabalharem juntas para alcançar metas realistas, ambiciosas e altamente exigentes de redução de emissões de CO2, como as adotadas pela Air France. Junto de seus parceiros Thales e DSNA, a Air France está contribuindo com conhecimentos especializados e recursos para conduzir as inovações que tornarão o transporte aéreo mais sustentável", diz o vice-presidente sênior de Desenvolvimento Técnico de Operações de Voo da Air France, Laurent Lafontan.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA