Voar é seguro na pandemia? Aéreas, Abear e Abav respondem dia 28

|

John Rodgerson, Magda Nassar, Jerome Cadier, Paulo Kakinoff, Eduardo Busch e Eduardo Sanovicz
John Rodgerson, Magda Nassar, Jerome Cadier, Paulo Kakinoff, Eduardo Busch e Eduardo Sanovicz
Na próxima segunda-feira, 28, às 15h, na plataforma do Abav Collab (inscreva-se em www.abavcollab.com.br), os presidentes da Azul Linhas Aéreas, John Rodgerson, da Gol Linhas Aéreas, Paulo Kakinoff, e da Latam Airlines Brasil, Jerome Cadier, o diretor da Voepass, Eduardo Busch, e o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz, se juntam a Magda Nassar, presidente da Abav Nacional, para um encontro que visa mostrar aos profissionais da indústria de Viagens e Turismo que voar é seguro, que as empresas estão prontas para a retomada e que a aviação continua sendo parte fundamental do setor e da economia do País.

É o início de uma campanha da aviação comercial brasileira para comunicar massivamente ao mercado e ao público final todas as medidas tomadas para que a viagem de avião seja segura e um facilitador para a retomada do Turismo e da economia do País.

Os mais velhos vão se lembrar dos eventos antigos da Abav, em que as companhias aéreas tinham dois momentos mais formais na agenda: os presidentes subiam ao palco na abertura e nada falavam, e durante uma plenária no congresso, em clima tenso, debatiam com os agentes de viagens abavianos assuntos que iam do genérico aos casos mais específicos.

A presidente da Abav, que desenhou um evento para ajudar o Turismo e seus integrantes a ver os caminhos, ferramentas e parceiros da retomada, quer que os presidentes das aéreas, durante esse encontro no Abav Collab, passem sua visão de como será esse recomeçar, com segurança, novos processos, mais tecnologia e a conectividade de que o Turismo tanto precisa. É hora de comunicar tudo isso e elas vão começar pelo evento das agências de viagens e de toda a indústria.

Às vésperas da retomada e ainda com inseguranças por parte dos passageiros e dos profissionais, ouvir os planos das aéreas nacionais, conhecer as medidas de saúde e segurança e saber das perspectivas do retorno dos voos é crucial para a volta das viagens. Viajar de carro e perto de casa é ótimo, mas não sustenta uma indústria que depende de voos de longa distância, de eventos, grupos, de viagens para fechar negócios, visitar parentes e realizar sonhos.

COMUNICAÇÃO
“Há alguns meses vimos discutindo com Anvisa, Anac e autoridades no Brasil e no Exterior os protocolos de biossegurança para que os passageiros possam embarcar e voar de maneira absolutamente tranquila. Implantados esses protocolos, de maneira unificada de Norte a Sul do País, e validados com as autoridades internacionais, nosso grande desafio agora, como indústria, é informar massivamente, ao trade, aos canais de distribuição, destacadamente agências e operadoras e aos nossos passageiros, que voar é seguro”, diz o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz.

“Os procedimentos e protocolos e principalmente os filtros que trocam o ar a cada três minutos fazem do transporte aéreo o meio mecânico de locomoção mais seguro que existe. Esta ação, esse conjunto de atividades que começa a ser conduzido pelas empresas aéreas, tem início no Abav Collab”, acrescenta Sanovicz.

As operações das quatro companhias já alcançam perto de 95% das localidades brasileiras e um novo mapa se desenha para reconectar o País, ainda com mais assertividade. A expectativa é que no final do ano de 65% a 80% da malha já esteja retomada.

COMO PARTICIPAR
Para acompanhar o painel Voar é Seguro e a entrevista de Magda Nassar com os presidentes das aéreas é preciso se inscrever em www.abavcollab.com.br. O encontro será na segunda-feira, 28, às 15h.

O Abav Collab será aberto no domingo, 27, Dia Mundial do Turismo, e segue até a sexta-feira, 2 de outubro, na plataforma que vai recriar toda a experiência de uma feira, com estandes, palestras, debates e networking. No dia 2 terá início a Black Friday do Turismo, para o consumidor final.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA