Aéreo doméstico pode chegar a 80% do pré-pandemia, diz secretário

|


Divulgação
Em março, o Brasil passou a operar menos de 200 voos diários, comparado aos 2,4 mil no período pré-pandemia
Em março, o Brasil passou a operar menos de 200 voos diários, comparado aos 2,4 mil no período pré-pandemia
O tráfego aéreo doméstico no Brasil deve atingir, em dezembro de 2020, de 75% a 80% do volume registrado no último mês de 2019. A expectativa foi traçada pelo secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, durante o Painel 2020 (Pacto pela Infraestrutura Nacional e Eficiência Logística), realizado na última quarta-feira (18) pelo Instituto Besc de Humanidades e Economia.
Divulgação/Ministério Infraestrutura
Ronei Glanzmann, secretário nacional de Aviação Civil
Ronei Glanzmann, secretário nacional de Aviação Civil

No período pré-pandemia, o Brasil operava cerca de 2,4 mil voos diários e, em março, esse volume despencou para menos de 200 voos diários. No entanto, o secretário reconheceu ainda que a retomada do mercado internacional será mais lenta, já que a queda foi mais acentuada e o Brasil depende de outros países.

CARGAS
O evento também destacou o movimento do transporte de cargas, que vem diminuindo em todo o mundo. Segundo o diretor de Operações da Aeroportos Brasil Viracopos, Marcelo Oliveira Mota, 2019 foi o pior ano dos negócios de carga e a tendência para os próximos anos é um cenário de declínio lento e constante. No entanto, ele afirmou que, entre março e novembro de 2020, o volume de cargas por importação em Viracopos aumentou 45,5% e o movimento por exportação, 56,5%. O diretor de Operações do aeroporto ressaltou ainda que o perfil de carga mudou devido à demanda por transporte de medicamentos, máscaras, insumos hospitalares e produtos vendidos por e-commerce.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA