Líderes apontam prioridades no Fórum de Aviação Sustentável

|

Divulgação/ Iata
Alexandre de Juniac, CEO da Iata
Alexandre de Juniac, CEO da Iata
Apesar da crise atual que enfrenta a aviação global, a indústria segue na busca da sustentabilidade, especialmente quando o setor começa a se recuperar. Falando no Fórum Global de Aviação Sustentável, os líderes da indústria reiteraram que a ação climática de longo prazo deve ser uma prioridade junto com a recuperação econômica nos próximos anos.

O diretor executivo do Grupo de Ação de Transporte Aéreo intersetorial, Michael Gill, disse: “O transporte aéreo está passando pelo choque mais profundo de sua história. Esperamos uma redução de até 4,8 milhões de empregos no setor até o final do ano e um grande impacto em nossa capacidade de conectar o mundo. No entanto, como planejamos a recuperação da conectividade aérea, também devemos priorizar nosso progresso ambiental. Nosso setor tem uma meta de longo prazo para a mudança climática de reduzir as emissões de CO2 pela metade até 2050. Com a ajuda certa dos governos, do setor de energia e de tecnólogos, esperamos que a aviação global seja capaz de atingir as emissões líquidas zero em uma década ou mais mais tarde. Algumas partes do mundo serão capazes de atingir esse ponto mais cedo e várias empresas individuais já definiram metas nesse sentido. Para conseguir isso, será necessária uma transição em nossa fonte de energia de combustível fóssil para combustível de aviação sustentável, a aceleração da pesquisa e desenvolvimento de aeronaves elétricas, híbridas e potencialmente movidas a hidrogênio. Também exigirá um compromisso com a colaboração que vai além de nossos níveis atuais. Temos a próxima década para definir o cenário para a conectividade global sustentável pelos próximos 30-40 anos”.

Falando sobre a necessidade de focar na sustentabilidade como parte da recuperação de longo prazo da indústria da covid-19, o diretor-geral do Conselho Internacional de Aeroportos, Luis Felipe de Oliveira, afirmou: “A recuperação da indústria da aviação será um fator chave para a recuperação econômica global. Para garantir que a aviação possa continuar a fornecer benefícios econômicos e sociais, é crucial buscar uma recuperação sustentável e estabelecer as bases para uma indústria próspera. Os aeroportos são centrais para o ecossistema de aviação interconectado e interdependente. Os aeroportos e seus parceiros na indústria da aviação precisam do apoio de uma regulamentação apropriada e de políticas governamentais para facilitar uma recuperação verde e impulsionar uma mudança real”.

O diretor geral da Organização de Serviços de Navegação Aérea Civil, Simon Hocquard, por sua vez, disse: “Cumprir nossos ambiciosos objetivos de sustentabilidade continua a ser de extrema importância e só acontecerá se todos no sistema de aviação fizerem sua parte. Desde a implementação de novos procedimentos operacionais até a adoção das tecnologias mais recentes, a indústria de ATMs tem um papel importante a desempenhar na melhoria da eficiência da aviação no curto prazo, antes que novas tecnologias de aeronaves elétricas ou combustíveis com zero de carbono entrem em operação”.

Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da Iata, afirmou que a pandemia de “covid-19 devastou a indústria da aviação. Mas estamos trabalhando muito para reconectar o mundo com segurança e sustentabilidade. Estamos empenhados em pressionar a nós mesmos, nossos parceiros e governos para atingir nossas metas de carbono em uma recuperação verde. Mas não é o momento de mais impostos ambientais que punem as pessoas por se reconectarem com a família ou que contribuem para a recuperação econômica com viagens de negócios. Para a aviação, a chave para combater as mudanças climáticas continua sendo os investimentos em compensação de carbono, combustíveis sustentáveis e tecnologias verdes radicais”.

Por último, o presidente do Conselho Internacional de Coordenação das Associações da Indústria Aeroespacial, Eric Fanning, disse: “Os fabricantes investem bilhões de dólares por ano para tornar a próxima geração de aviões ainda mais eficiente em termos de combustível, mas a interrupção do COVID-19 tornará difícil manter esse nível de investimento em pesquisa e desenvolvimento. Seguindo em frente, os líderes do governo e da indústria devem encontrar novas maneiras de colaborar no financiamento e no desenvolvimento de tecnologias inovadoras que abordem as mudanças climáticas".
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA