Demanda por voos domésticos cai 85% em junho

|

Unsplash/Stefan Fluck
A Anac informa ainda que a oferta teve retração de 83,6% em junho
A Anac informa ainda que a oferta teve retração de 83,6% em junho
Mensurados pela Anac, dados da aviação nacional mostram que, em junho, a demanda por voos domésticos teve queda de 85%. O número tem como base a comparação com o mês do ano passado e foi o terceiro pior resultado mensal desde 2000. A retração anotada em junho confirma o impacto da pandemia do coronavírus no setor e engrossa uma sequência de indicativos ruins. As quedas de abril e maio foram de 93,1% e 91%, respectivamente.

No mesmo levantamento, a Anac informa que a oferta teve retração de 83,6% em junho, na comparação anual. Sendo assim, a taxa de ocupação das aeronaves ficou em 74,6%, uma redução de 7,1 pontos percentuais. No total, foram transportados 888.729 passageiros, o que representou diminuição de 87,3% diante de junho de 2019.

A demanda por viagens internacionais teve retração de 95,4% em junho, em relação a igual mês do ano passado. A oferta teve queda de 89,3% na comparação anual, com o aproveitamento dos aviões de 36,8%, diminuição de 49 pontos percentuais. Ao todo, mais de 66 mil passageiros foram transportados, o que significa redução de 96,5%.

MAIS NÚMEROS DE JUNHO
Ainda de acordo com a Anac, em junho, a Azul apareceu como a empresa com maior participação no mercado de passageiros em voos domésticos. A companhia atingiu 39% do share de passageiros, ultrapassando suas concorrentes Gol e Latam, que ficaram com 37% e 23,9%, respectivamente.

No recorte sobre o transporte aéreo de cargas e correios, a agência aponta que houve queda de 44,7% no sexto mês do ano em, em relação ao mesmo mês de 2019. No mercado internacional, essa atividade registrou diminuição de 23,8% na mesma comparação.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA