Aéreas europeias baixam tarifas para atrair passageiros

|

As companhias aéreas da Europa têm oferecido tarifas com descontos significativos para o período de setembro a dezembro em uma tentativa de atrair viajantes de volta. No entanto, é preciso reconquistar a confiança do consumidor antes de qualquer coisa, já que muitos ainda se preocupam se suas viagens serão impossibilitadas. As informações são da ForwardKeys, com análise do VP de Insights da empresa de análise de viagens, Olivier Ponti.
Divulgação
Gráfico mostra variação das tarifas europeias comparado a 2019
Gráfico mostra variação das tarifas europeias comparado a 2019
A análise das tarifas aéreas dos quatro principais mercados do norte da Europa (França, Alemanha, Holanda e Reino Unido) para os quatro principais destinos do sul do continente (Grécia, Itália, Portugal e Espanha) revela que durante o mês de agosto a maioria das rotas tinha preços mais de 15% abaixo do valor em que eram comercializadas na mesma época no ano passado.

Os negócios mais atraentes foram do Reino Unido à Grécia, mais de 35% abaixo dos níveis do ano passado. Outros apresentaram cerca de 25% de desconto, foram do Reino Unido à Espanha e Itália, da Alemanha à Grécia e Portugal, da França à Grécia e da Holanda à Espanha. Apenas uma rota apresentou tarifas superiores às de 2019, da Alemanha para a Itália, na qual as aéreas low cost se retiraram desproporcionalmente do mercado.

“Estamos vivendo um momento muito difícil para as companhias aéreas, com a demanda sendo menos de um quinto do que era na mesma época do ano passado. As companhias aéreas têm respondido com as ferramentas ao seu dispor, reduzindo capacidade e oferecendo preços promocionais para atrair de volta viajantes, mas não têm controle sobre a evolução da pandemia e as políticas de restrição de viagens, que influenciam fortemente as reservas. O efeito de preços atrativos permanecerá assim limitado, especialmente tendo em conta que muitos consumidores ainda estão preocupados que seus planos sejam interrompidos e que qualquer dinheiro gasto em passagens aéreas não possa ser reembolsado prontamente em caso de cancelamento de seu voo. Recuperar a confiança do consumidor é um pré-requisito para atrair as pessoas de volta aos voos”, concluiu o VP de Insights da Forward Keys, Olivier Ponti.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA