América Latina: 13,1 milhões de passageiros aéreos em outubro

|

Netto Moreira
Galeão, no Rio de Janeiro, um dos principais aeroportos do Brasil
Em outubro, as companhias aéreas da América Latina e do Caribe transportaram 13,1 milhões de passageiros, dos quais o Brasil foi responsável por quatro milhões, maior número desde abril. Este foi o melhor resultado da região desde o início da pandemia de covid-19, informa a Associação Latino-Americana e do Caribe de Transporte Aéreo (Alta).

Ainda assim, o montante é 70% menor do que os mais de 34,7 milhões registrados no mesmo período em 2019. No Brasil, os quatro milhões transportados representam 52% de queda em relação a outubro de 2019. Os mercados domésticos de México, Brasil, Chile e Colômbia representaram 60% do tráfego na região em outubro de 2020.

VOOS INTERNACIONAIS
O tráfego aéreo internacional também apresentou recuperação e os melhores resultados desde o fechamento das fronteiras. O mercado extrarregional foi impulsionado pela rota México-EUA, que registrou 1,2 milhão de passageiros, porém uma redução de 42,8% em relação ao décimo mês de 2019.

O movimento aéreo dentro da região da América Latina e Caribe também apresentou dinamismo, com destaque para a rota México-Colômbia, com 19,5 mil passageiros viajando entre os dois países, e México-Brasil, com movimento de 10,5 mil passageiros.

“É importante mencionar que estes três países atualmente não possuem restrições para passageiros internacionais, não fazem exigência de teste negativo, nem de quarentena, o que lhes permite observar números melhores do tráfego de passageiros. É por isso que a Alta continua a reiterar a urgência na eliminação das restrições à entrada de passageiros, alinhada aos protocolos de biossegurança, para que nossa indústria e nossas economias possam retomar seu voo”, afirmou o diretor-executivo e CEO da Alta, José Ricardo Botelho.

Para acessar a íntegra do relatório de tráfego de outubro da Alta clique em https://bit.ly/34bmvda
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA