Programa abrangente de testes pode trazer viagens de volta

|

Os resultados de uma iniciativa conduzida em conjunto pela American Airlines, British Airways e Oneworld mostra que um programa abrangente de testes de covid-19 pode ajudar a reabrir viagens internacionais com segurança. Isso é sustentado por análises de pesquisadores da Universidade de Oxford, que estudaram dados sobre como os passageiros avaliam o risco e cumprem as regras relacionadas ao novo coronavírus.

Pixabay/Elchinator
Pesquisa conduzida em conjunto pela American Airlines, British Airways e Oneworld mostra que programa abrangente de testes pode trazer viagens internacionais de volta
Pesquisa conduzida em conjunto pela American Airlines, British Airways e Oneworld mostra que programa abrangente de testes pode trazer viagens internacionais de volta
O estudo do Oxford Internet Institute (OII) analisou dados de pesquisa agregados de quase 600 viajantes que participaram do ensaio de teste voluntário em alguns voos dos Estados Unidos para Londres Heathrow, entre novembro de 2020 e março de 2021. O levantamento ofereceu três testes gratuitos, realizados durante a viagem transatlântica.

Os clientes que participaram do ensaio, conduzido em duas fases, fizeram um teste de PCR inicial 72 horas antes da partida, um segundo teste (LAMP) na chegada em Heathrow e um terceiro (PCR), realizado três a cinco dias após a chegada ao Reino Unido.

Na primeira fase, apenas 1% dos viajantes que fizeram o teste 72 horas após a partida tiveram resultado positivo e, como resultado, não viajaram. Nenhum dos passageiros que fizeram o teste na chegada ao aeroporto de Londres apresentou resultado positivo. Dos que fizeram o terceiro teste depois de chegar ao Reino Unido, apenas 0,4% tiveram resultado positivo.

A análise sugere que os resultados foram "amplamente consistentes" com os programas de testes anteriores na indústria da aviação. É importante ressaltar que 99,7% dos viajantes disseram estar felizes em cumprir os requisitos de testagem para a covid-19 como uma alternativa à quarentena após viagens internacionais e estão dispostos a pagar por testes acessíveis.

Quase 70% dos participantes disseram que viajariam se fossem obrigados a fazer um teste 72 horas antes da partida. O mesmo número disse que estariam dispostos a fazer 19 horas antes da partida e também após a chegada. Mais de 70% dos viajantes responderam que provavelmente viajariam se fossem obrigados a ser testados no aeroporto antes da partida e cerca de 75% estão dispostos a fazer no aeroporto na chegada ao seu destino.

Questionados sobre o que estariam dispostos a pagar, quase 80% dos viajantes disseram que pagariam pela testagem, com a maioria disposta a pagar US$ 50 ou menos por cada teste. Apenas 15% dos passageiros estão dispostos a pagar mais de US$ 100.

As descobertas do estudo de Oxford serão compartilhadas com governos e partes interessadas, em um acréscimo importante ao crescente corpo de conhecimento que mostra como os testes abrangentes para a covid-19 podem fornecer a confiança aos governos para eliminar as restrições de entrada e permitir o retorno das viagens com segurança.

“O estudo reforça ainda mais que os clientes estão dispostos a se submeter a testes como alternativa à quarentena. Os resultados do ensaio sublinham o papel importante que a testagem pode desempenhar na reabertura segura de viagens internacionais, incluindo rotas extremamente significativas entre os EUA e o Reino Unido. A acessibilidade do teste é crucial para os viajantes e estamos prontos para fazer parceria com governos e o setor privado para oferecem opções de teste acessíveis para nossos clientes que desejam ou precisam viajar novamente”, dizem as três partes em uma declaração conjunta.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA