Check-list para empreendedores conterem a crise e salvar o caixa – parte 1

|

Uma lista elaborada pela Gestão 4.0 e Auddas elencou os principais pontos para um empreendedor conter a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. Na primeira parte, as dicas contemplam os impostos e taxas, e as despesas.

Nos próximos dias, você ficará sabendo sobre as medidas que dizem respeito às pessoas, crédito, receita e marketing. Fique ligado.

IMPOSTOS E TAXAS

Postergar pagamento de impostos federais dentro dos prazos permitidos e máximos antes de negativação
Avalie com o seu escritório de contabilidade os prazos de atraso e renegociação de dívidas tributárias com o governo

Associações
A consultoria sugere reavaliar para reduzir, ou cortar pagamentos para qualquer tipo de associação de classe, indústria ou semelhantes. Porém, vale ressaltar, no caso do Turismo, o papel dessas entidades, incluindo Abav, Braztoa, Abracorp, Clia, FBHA, entre outras, como a própria CNC, na luta por medidas em favor do setor nesse momento de crise. Como vimos na live da PANROTAS com Abav, Braztoa e FBHA ou na proposta do Sistema Spara investir R$ 1 bilhão no combate ao coronavírus, vale repensar essa dica e recomendamos ficar ao lado de sua entidade na luta pelo Turismo, Hotelaria, Parques, Alimentação fora do Lar, entre outros segmentos representados. A maioria associações pequenas, que, inclusive, como a Abav-RJ, já postegaram os pagamentos de mensalidades. E no caso do Sistema S, um apoio de R$ 1 bilhão nesse momento de crise.

Divulgação
Postergação recolhimento de FGTS e INSS
O Governo Federal autorizou que o recolhimento do INSS e FGTS da folha de pagamento seja postergado por três meses a partir de março/2020 (poderão ser postergados os recolhimentos em março, abril e maio de 2020). Importante ressaltar de que deverão ser compensados no futuro

Postergação recolhimento Simples
De acordo com a Resolução CGSN 152/2020 do Comitê do Simples Nacional, o pagamento da DAS referente ao simples das competências de março, abril e maio foram postergadas. Importante ressaltar que as mesmas ainda deverão ser pagas em datas futuras (outubro, novembro e dezembro) e, portanto, isso deve ser considerado no seu planejamento de desembolso de fluxo de caixa

DESPESAS

Revisão de contratos e negociação de contratos
Classifique todos os seus contratos com fornecedores e analise quais são do tipo A (essenciais para que você continue funcionando e com alto valor) e busque renegociar o quanto antes sejam em prazo ou desconto. Os do tipo B e C (não essenciais) devem ser suspensos, postergados ou cancelados.

Divulgação
Movimento para home office e redução de despesas de utilidades no escritório

Coloque o time em regime de home office, e desative/suspenda temporariamente as contas de água, luz e internet do escritório junto as concessionárias. As mesmas podem ser suspensas por no mínimo 30 dias e no máximo 120 dias por ano. Renegocie ou suspenda durante a crise o pagamento do aluguel do imóvel

Corte de despesas variáveis
Avalie todas as despesas variáveis não essenciais ou com retorno duvidoso neste momento

Suspensão de investimentos e projetos que estejam com conclusão inferior a 70% e desembolso inferior a 80%
Avalie investimentos que ainda não foram finalizados e considere pausar ou cancelar. Evite o viés de "aversão a perda" e entenda se o dinheiro que será deixado de investir poderá fazer falta em caso de quedas de receita por períodos prolongados. Investimentos podem ser refeitos no futuro, mas, para isso, o negócio precisa continuar existindo.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA