Hotéis e parques pedem urgência em medidas do governo

|


Emerson Souza
Alexandre Sampaio, da FBHA
Alexandre Sampaio, da FBHA

ABIH, FOHB, FBHA, BLTA, Sindepat, Adibra e Unedestinos enviaram nova carta ao governo federal, depois das reivindicações do começo da semana. Segundo o comunicado, o setor encontra-se em estado de emergência e necessita de medidas urgentes do governo para sobreviver. Segundo as entidades, as medidas anunciadas na última terça-feira não atendem o setor mais atingido pela crise até o momento.

“Ressaltamos que não se trata de prejuízo pontual e imediato, mas sim da desarticulação e falência da cadeia turística nacional que poderá causar consequências permanentes para a economia do País”, diz trecho da carta aberta.

"CARTA ABERTA AO GOVERNO FEDERAL
Os setores de hotéis, parques e entretenimento estão em ESTADO DE EMERGÊNCIA. A pandemia do Coronavírus trouxe o risco real de fechamento de várias empresas. As associações hoteleiras e de parques do Brasil, Resorts Brasil, ABIH, FOHB, FBHA, BLTA, Sindepat, Adibra e Unedestinos, responsáveis por mais de um milhão de empregos diretos e indiretos não vão suportar o impacto financeiro caso não haja uma intervenção do governo federal para garantir a continuidade das empresas e a manutenção dos empregos de seus colaboradores.

A Medida Provisória anunciada nesta terça-feira (16) pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, não representa uma solução para o setor mais duramente afetado por esta crise.

Os índices de cancelamento de eventos, de hospedagens corporativas e de lazer estão na ordem de 75%-100%, além de acentuada queda na visitação dos parques, colocam em xeque a sobrevivência destes empreendimentos no País. A situação é caótica e em um espaço curtíssimo de tempo, o setor de Turismo estará irremediavelmente comprometido, sob pena de suprimir da economia R$ 31,3 bilhões e 400 mil postos de trabalhos diretos.

Ressaltamos que não se trata de prejuízo pontual e imediato, mas sim da desarticulação e falência da cadeia turística nacional que poderá causar consequências permanentes para a economia do País.”

Assinam o documento Sérgio Souza, da Resorts Brasil, Manoel Linhares, da ABIH, Orlando de Souza, do Fohb, Alexandre Sampaio, da FBHA, Murilo Pascoal, do Sindepat, Vanessa Costa, da Adibra, Toni Sando, da Unedestinos, e Simone Scorsato, da BLTA.

Amanha, às 15h, a PANROTAS, Abav, Braztoa e Resorts Brasil, falando pela hotelaria, farão uma live pelo Facebook para debater o andamento da crise e as medidas que já foram tomadas.


Emerson Souza
Ana Biselli e Sérgio Souza, da Resorts Brasil
Ana Biselli e Sérgio Souza, da Resorts Brasil


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA