Como as empresas de receptivo lidam com a evolução do coronavírus

|

Unsplash/Alexa Williams
Boa parte das empresas de receptivo vai optar pelo regime home office
Boa parte das empresas de receptivo vai optar pelo regime home office
Indústria profundamente afetada pela evolução do novo coronavírus no Brasil, o Turismo, em seus diversos segmentos, sente os efeitos da pandemia. E, assim como em outras atividades, as empresas que prestam serviços de receptivo, já começaram a adotar medidas que aplaquem os efeitos desse momento atípico. Na lista abaixo, o Portal PANROTAS enumera algumas ações em vigor ou implementação nas empresas desse segmento.

BROCKER TURISMO
Com atuação concentrada na Serra Gaúcha, a empresa deu férias coletivas aos colaboradores sexagenários e implementou trabalho em regime home office para os funcionários que atuam nos setores de atendimento para vendas, financeiro e TI. Às equipes que trabalham no contato direto com o cliente, como os guias e atendimento nas lojas, a empresa oferece produtos para limpeza constante como álcool gel, luvas e máscaras.

Alguns passeios e roteiros deixaram temporariamente de funcionar em função do fechamento de alguns parques e áreas públicas. A tradicional decoração de Páscoa em Gramado e Canela, por exemplo, será mantida mas sem atrações que gerem aglomeração de pessoas.

"A cada dia as coisas mudando e vamos entendendo melhor a situação, tendo melhor noção de como trabalhar. Notamos uma queda grande nos eventos da região mas no lazer ainda recebemos alguns clientes", comenta a diretora do grupo, Any Brocker. A executiva acrescenta que as empresas que lidam com o Turismo na região tem atuado muito próximas ao poder público.

GROU TURIMO
A baiana Grou Turismo começou implementando um processo mais criterioso de higienização nos veículos da frota e segue atendendo seus clientes conforme as possibilidades que os destinos oferecem. Em Salvador, por exemplo, muitas atrações já estão fechadas e por isso as opções turísticas são limitadas a áreas de ar livre e espaços privados. "Estamos seguindo a orientação do poder público e seguimos operando na medida do possível", relata o gerente de Marketing Iuri Barreto.

A empresa também trabalha no levantamento de dados para entender quais funcionários podem ou devem trabalhar de casa.

Na sede portuguesa da Grou a situação é um pouco diferente. Lá as atividades, com exceção dos traslados, estão suspensas até 9 de abril e os colaboradores atuam de casa.

LUCK RECPTIVO
"Diante do cenário em que estamos vivendo, decidimos que vamos suspender a operação dos passeios a partir de segunda (23), cumprindo com os vendidos até o dia anterior (em Recife, já vamos suspender a partis de sábado (21), mantendo os passeios de amanhã (20), e em Salvador amanhã já não termos passeios). Translados de chegada e saída seguirão acontecendo para atender quem precisa chegar aos seus destinos.

Acreditamos que esta é a decisão mais sensata a ser tomada para que possamos retornar o mais breve possível e mostrar o melhor que cada um dos nossos destinos tem a oferecer.

Entendemos que esse é o momento de abrirmos mão da nossa maior missão: transformar viagens em histórias inesquecíveis, em prol da nossa nação".

TURISTUR
A Turistur trabalha de caso a caso para entender que colaboradores vão sair de férias ou seguir trabalhando em home office. Em linhas gerais, a empresa pediu para que os guias fiquem em casa e quem trabalha em áreas administrativas façam suas tarefas remotamente. Desligamentos de funcionários estão fora dos planos e a orientação de momento.

A empresa teve muitos dos seus passeios e roteiros paralisados pois as atrações turísticas fecharam as portas. O serviço de translado, no entanto, segue ocorrendo. "Estamos aguardando o posicionamento oficial da prefeitura para saber tomas mais decisões", comenta a diretora Comercial, Fernanda Sturmer.

VENTO SUL
Por ora, a equipe da Vento Sul segue trabalhando normalmente mas a tendência é que nos próximos dias isso aconteça em regime home office. No trato com os clientes a empresa oferece um ano para a remarcação de datas para passeis e pede para que os viajantes não cancelem mas adiem seus compromissos.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA