TURISMO

Seychelles comemora alta de 57% da América do Sul

Marcos Martins
Diretora da GVA, Gisele Abrahão, com o diretor regional do Seychelles Tourist Office, David Germain, participam de encontro
Diretora da GVA, Gisele Abrahão, com o diretor regional do Seychelles Tourist Office, David Germain, participam de encontro
O Turismo de Seychelles realizou hoje, em São Paulo, um workshop para apresentar os atrativos do destino, com a participação de executivos de companhias aéreas e redes hoteleiras. No Brasil, a representação do destino é realizada pela GVA - Global Vision Access, que comemorou uma alta de 120% em número de brasileiros no arquipélago com 1,8 mil turistas, aliado ao número histórico em chegadas internacionais.

“Tivemos um recorde no ano passado com 350 mil pessoas visitando as ilhas e ao, mesmo tempo, conseguimos bons números no mercado sul-americano com acréscimo de 57%”, revela o diretor regional para África e Américas do Seychelles Tourist Office, David Germain, em entrevista ao Portal PANROTAS. “O lugar é diferente de tudo, com belas ilhas, muita natureza, paz, tranquilidade, sendo ideal para vários nichos”, reforça Germain, que em 2018 trabalhará com diferentes mercados globalmente.

E um dos focos do trabalho da GTA no País é desmistificar Seychelles como um lugar apenas de lua de mel. Para isso, foram criadas ações de marketing que visam aumentar cada vez mais as possibilidades dos produtos oferecidos ao cliente. “Conseguimos estabelecer o destino e esse crescimento é apenas o início de algo que será constante porque um dos pontos estratégicos é mostrar variedade, com atrativos para famílias, jovens e pessoas de mais idade”, explica a diretora da GVA, Gisele Abrahão.

Divulgação / GVA
Natureza é um dos pontos fortes do destino
Natureza é um dos pontos fortes do destino
A dica importante que foi passada para os agentes e parceiros venderem melhor é não rotular Seychelles apenas como destino de lua de mel e fazer combinações com passeios de natureza, experiências gastronômicas e eventos esportivos, como a maratona que acontece anualmente, em fevereiro.

Além disso, é possível fazer uma viagem combinada com outros países mais próximos, por meio de conexões via Emirates, Qatar, Ethiopian, Turkish, South African e outras opções de transportadoras europeias. Já no destino, o acesso às ilhas menores é realizado em transfer de barco ou opções mais exclusivas de helicóptero.

DIVERSIDADE
No começo do ano, Seychelles ganhou um guia voltado exclusivamente para a comunidade gay dentro do aplicativo Sonder e a medida, segundo Gisele, reforça a pluralidade e respeito que a região oferece.

“O guia brasileiro de Turismo LGBT sobre as ilhas foi o primeiro no mundo. O destino não pode ser comparado a Mykonos, na Grécia, por exemplo, mas é gay-friendly e o público poderá aproveitar o lugar com toda a tranquilidade, sendo extremamente receptivo, sem distinção com qualquer outra pessoa."
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA