Centenário de Mandela vai ocupar espaços de São Paulo

|


Emerson Souza
Diego Mouro, um dos artistas que pintarão um mural com o rosto de Mandela em um prédio de São Paulo, e Tati Isler, há 14 anos representante do Turismo da África do Sul
Diego Mouro, um dos artistas que pintarão um mural com o rosto de Mandela em um prédio de São Paulo, e Tati Isler, há 14 anos representante do Turismo da África do Sul
Homenagear Nelson Mandela, um dos maiores homens de nossa história, em seu centenário, é, como lembra o embaixador da África do Sul no Brasil, Ntshikiwane Joseph Mashimbye, manter o seu legado de dar dignidade aos não favorecidos, oprimidos e vítimas de preconceitos diversos, do racial ao de gênero, do social ao econômico.

“Vir de um país como a África do Sul, como eu, faz ver que a dignidade é o que há de mais importante na vida de um homem”, disse ele, durante evento realizado no Mirante 9 de Julho, em São Paulo pelo Turismo da África do Sul, para celebrar o início das comemorações preparadas pelo órgão, no Brasil, pelos 100 anos de Nelson Mandela.

O embaixador emocionou a todos ao contar que tem de lembrar todos os dias a seu primeiro filho que ele não é filho de um crime, como era visto naquele começo da década de 1990, um menino nascido do amor entre um negro e uma branca. “Tivemos de esconder nosso amor, nosso filho. E quando vim ao Brasil vejo vários meninos parecidos com ele pelas ruas”, contou.

O regime segregacionista do apartheid caiu poucos anos depois, em 1994, após muita luta de homens como Nelson Mandela, que ficou 27 anos preso, presidiu a África do Sul e inspirou o mundo todo. “Mandela é do mundo e como diz a campanha do Turismo da África do Sul ao acharmos o Mandela que existe dentro de nós, continuamos o seu legado, que foi de levar dignidade aos sul-africanos e a todos os que sofrem ao redor do mundo”.

A representante do South African Tourism na América do Sul, Tati Isler, comandou a noite com muita emoção: a exposição “Mandela em sua terra natal”, com fotos de Madiba (apelido do líder ganhador do Nobel da Paz), ficará em cartaz no Mirante 9 de Julho até 31 de outubro, mas outras ações virão, sempre baseadas no tripe cultura + educação + intervenção urbana.

Divulgação/SAT
Uma das fotos de Nelson Mandela na exposição que fica até 31 de outubro no Mirante 9 de Julho
Uma das fotos de Nelson Mandela na exposição que fica até 31 de outubro no Mirante 9 de Julho
Entre as ações se destacarão:

Projeção de um video criado especialmente para celebrar os 100 anos de Mandela em prédios de São Paulo. O video foi tão elogiado pelo Turismo da África do Sul que está sendo distribuído para todo o mundo, onde há escritórios da SAT, com o mesmo propósito.

Um mural gigante será inaugurado em 21 de outubro na capital paulista, fruto da parceria de dois artistas (Diego Moura e Criola). O local ainda é mantido em sigilo.

A Mostra de Cinema de São Paulo homenageará Nelson Mandela e alguns films inéditos sobre o líder serão apresentados.

Os relógios da avenida Paulista exibirão frases de Mandela.

A Fundação Nelson Mandela capacitará 600 professores para que multipliquem os ideais e lições de Mandela.

O projeto “Mulheres brilhantes seguindo os passos de Mandela”, com Camila Pitanga, Djamila Ribeiro e Nátaly Neri, acompanhadas pela cinegrafista Carol Rocha e pela jornalista Milly Lacombe, será lançado. Elas já viajaram juntas pela África do Sul para visitar lugares ligados à história de Mandela. “Com a cobertura feita em suas redes sociais, esse grupo ímpar de mulheres está comovendo milhares de brasileiros e brasileiras ao mostrar suas impressões das terras sul-africanas”, disse Tati Isler em comunicado da SAT.
Emerson Souza
Foi lançado o livro “Cartas da prisão de Nelson Mandela”.


O folheto A Jornada de Madiba, com o roteiro de Nelson Mandela na África do Sul ajuda os profissionais de Turismo a montarem viagens para seus clientes, seguindo os passos do líder mundial.

Todos os envolvidos nesses e em outros projetos falam da emoção de estarem participando de momentos e ações inspiradas por Mandela e de como ele continua inspirando e liderando o que precisa ser feito no mundo. "Precisamos de um milhão de Mandelas atualmente", resumiu o embaixador da África do Sul.

Confira abaixo algumas das fotos do evento.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA