INVESTIMENTOS

Beltrão pede rapidez na aprovação de capital estrangeiro na aviação

Após anunciar sua saída do Ministério do Turismo, Marx Beltrão veio a público defender a aprovação de 100% de capital estrangeiro de companhias aéreas no Brasil. Ao subir no palco da sexta WTM Latin America, o ainda ministro disse “não saber por que” o projeto de lei não foi aprovado.

De acordo com ele, a entrada de mais companhias aéreas internacionais deixaria a aviação brasileira mais competitiva. Além disso, haveria um barateamento no custo das passagens aéreas, tornando o transporte aéreo mais acessível à população.

Emerson Souza
“Já cansei de escutar alguém dizer que pagou mais barato em uma viagem para fora, para Buenos Aires”, disse, em tom de crítica.

Outro ponto a favor da aprovação do projeto, ainda em trâmite em Brasília, é que a entrada de capital internacional não irá afetar as companhias aéreas brasileiras. “Para operar aqui essa empresa tem que ter CNPJ brasileiro, vai ser empresa nacional que vai operar mercado com mais rotas e mais destinos”, exemplificou.

Para o ministro, a presença de 190 aeroportos com condições de receber voos diários é mais um incentivo para a chegada de mais estrangeiros e a emissão de brasileiros ao Exterior. A concessão à iniciativa privada e a regionalização da aviação, com a entrega de terminais reformados, também beneficia a entrada de novas transportadoras, pontuou.

De saída do ministério, Beltrão se comprometeu a trabalhar com demais deputados, como o presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo, Herculano Passos, para levar essa e demais pautas adiante em caráter de urgência para aprovação.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA