Pestana perde hotéis no Brasil, mas melhora resultados

|

Leonardo Ramos
De azul o CEO do Grupo Pestana, José Theotônio, entre os demais executivos do grupo presentes: Paulo Dias, Sofia Fernandes, Pedro Botelho, Gilda Luis e Gustavo Jarussi
De azul o CEO do Grupo Pestana, José Theotônio, entre os demais executivos do grupo presentes: Paulo Dias, Sofia Fernandes, Pedro Botelho, Gilda Luis e Gustavo Jarussi
A fase do Grupo Pestana no Brasil não foi das melhores nos últimos anos, mesmo com a empresa tendo seu melhor resultado da história em 2017. No início de 2016, a rede contava com nove empreendimentos no Brasil. Hoje são cinco.

Em 2016 dois hotéis do grupo foram fechados por tempo indeterminado, o Pestana Bahia, em Salvador, e o Pestana Angra Beach Bungalows, em Angra dos Reis (RJ) - os dois, inclusive, estão à venda. No mesmo ano, o GJP Hotels & Resorts Hotels anunciou a aquisição do Pestana Natal All Inclusive Beach & Resort, que passou a se chamar Prodigy Beach Resort Natal. Em abril de 2018 aconteceu a última mudança: o Pestana São Luís trocou de bandeira, e desde então é gerido pela rede Blue Tree Hotels sob a marca executiva Towers.

Durante evento nesta sexta (18) em São Paulo, porém, o CEO da empresa, José Theotônio, deixou claro dois pontos. Um deles é que os cinco empreendimentos remanescentes (dois em Salvador e um em Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo) serão mantidos; e o outro é que as mudanças de bandeira, vendas e fechamentos de hotéis foram decisões estratégicas da rede diate do cenário brasileiro, e que hoje rendem frutos.

"Não só o Brasil, mas toda a América Latina sofre com grandes altos e baixos nos últimos anos. 2015 foi terrível, tivemos uma queda enorme dos resultados, o que nos levou a decidir pela venda de um imóvel e fechamento de outros dois em 2016, mesmo com os resultados daquele ano melhorando um pouco. Resolvemos manter e apostar nos hotéis que ficavam, que mesmo diante da crise mantinham bons resultados, e hoje vemos que deu certo. 2017 já foi um bom ano para nós, todos os seis empreendimentos que mantivemos conseguiram uma boa rentabilidade", descreveu Theotônio durante almoço no Pestana São Paulo - um dos que foram mantidos.

O diretor de Operações para o Brasil, Paulo Dias, reforçou a afirmação do CEO com fatos. Segundo ele, todos os cinco empreendimentos do Grupo no País tiveram alta de ocupação no primeiro trimestre de 2018, com destaque para uma boa recuperação do Rio de Janeiro e Curitiba - o melhor resultado é o do Pestana São Paulo.

"Claro que não está o mesmo que em 2010, 2011, 2012, ótimos anos no Brasil, mas acreditamos em uma estabilização e recuperação ao decorrer dos próximos anos", salienta Dias. "No fundo do poço nós já batemos, agora os bons resultados reaparecem."

Salvador, a única cidade com dois hotéis, deve ser favorecida em 2019 com a abertura do novo Centro de Convenções da cidade, com 100 mil metros quadrados de espaço.

FORA DA LISTA
Durante o evento desta sexta (18), José Theotônio anunciou a abertura de 20 empreendimentos da rede até 2020, fruto de um investimento de 200 milhões. Portugal sozinho receberá 11 empreendimentos, seguido de Estados Unidos com três, Espanha com dois, Marrocos com dois e Holanda com um. O Brasil, porém, ficou de fora, e o único latino-americano da lista é o Uruguai, com um novo empreendimento da marca Collection (upscale da rede) previsto para ser aberto em Montevidéu.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA