Airbnb apresenta benefícios do aluguel para secretarias | Mercado | PANROTAS
MERCADO

Airbnb apresenta benefícios do aluguel para secretarias

Pixabay
De acordo com Flávia Matos, a empresa busca sempre se posicionar a favor de mudanças legais
De acordo com Flávia Matos, a empresa busca sempre se posicionar a favor de mudanças legais
O Airbnb divulgou hoje um material técnico destinado aos gestores municipais de Turismo do Brasil. Com o título Saiba mais sobre o Airbnb, o documento traz uma explicação sobre a plataforma, incluindo informações de como funciona, questões jurídicas e benefícios para anfitriões, viajantes e comunidades.

"Criamos este documento para mostrar os benefícios que a locação por temporada leva para os destinos, gerando crescimento econômico para o comércio e os serviços locais, além de prestar esclarecimentos de ordem legal sobre a atividade", afirma a diretora de Relações Institucionais do Airbnb no Brasil, Flávia Matos.

Um dos destaques do documento são dados de uma pesquisa, encomendada pelo Datafolha, sobre o aluguel por temporada no Brasil e realizada em abril deste ano com moradores das cidades do Rio de Janeiro, Cabo Frio (RJ), São Paulo, Salvador e Fortaleza. Segundo o estudo, 80% dos que vivem nessas cidades afirmam que a legislação é suficiente para regular a atividade e deve permanecer como está.

Além disso, 75% diz que não votariam em políticos que apoiassem restrições ou mais impostos sobre o aluguel por temporada.

Algumas cidades brasileiras ainda buscaram aprovar projetos de lei voltados para criar barreiras de entrada, dificultar a atividade dos anfitriões e retirar o direito do consumidor de escolher qual tipo de acomodação prefere para sua viagem. Tais tentativas foram arquivadas em Florianópolis, Vitória, Búzios (RJ), Fortaleza, Campinas (SP), Joinville (SP) e Salvador após consulta pública.

"O Airbnb sempre se posicionou favorável às mudanças legais para tornar mais simples o recolhimento de impostos e criar um ambiente mais favorável ao aluguel por temporada. Em todo o mundo, mais de 340 acordos já foram firmados com governos e resultaram no recolhimento de mais de meio bilhão de dólares", completa Flávia Matos.

Clique aqui e tenha acesso ao documento na íntegra.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA