MERCADO

Diária média e Revpar despencam na América do Sul

O ano está longe do ideal para a hotelaria da América do Sul. De acordo com estudo divulgado pela STR, nos cinco primeiros meses de 2019, a diária média (ADR) dos hotéis do continente caiu 22,7% na comparação com o mesmo período do ano passado, enquanto a receita por quarto disponível (Revpar) diminuiu 21,5%.

Segundo o relatório, maio foi especialmente trágico quanto ao desempenho hoteleiro sul-americano. Separado, o mês registrou uma taxa de diária média 48,9% inferior à registrada em 2018. Mesma situação foi vista quanto ao Revpar, que caiu 45,4% na comparação mensal ano após ano.

PxHere
Quito, no Equador, viu todas as suas taxas recuarem em maio
Quito, no Equador, viu todas as suas taxas recuarem em maio
Neste mês, a ADR fechou em US$ 89,1 diante dos US$ 175,97 do ano passado. O Revpar, por sua vez, saiu de US$ 94,32 em maio de 2018 para US$ 51,48. Até agora, considerando janeiro, fevereiro, março, abril e maio, a ADR é de US$ 92,27, enquanto o Revpar registra US$ 52,84.

Apesar dos resultados fracos, a taxa de ocupação cresceu 6,8% sobre maio de 2018, alcançando 57,3%. Já na análise de 2019, tal número subiu 1,5% em relação ao visto no mesmo período do ano anterior.

REGIÕES EM DESTAQUE
O relatório global da STR ainda apontou que as hotelarias do Caribe e da América Central foram as que mais cresceram nas Américas. A primeira viu sua ADR subir 10,3% no ano, alcançando US$ 224,40, e seu Revpar crescer 9,8%, chegando a US$ 158,29. Já a segunda teve acréscimos de 9,5% e 4,5%, respectivamente, registrando taxas médias de US$ 78,91 e US$ 75,53 entre janeiro e maio.

O estudo ainda colocou o Norte da África e o Sul da Europa entre as regiões que têm demonstrado maior crescimento na comparação hoteleira ano a ano. Para conferir as planilhas completas da STR, clique aqui.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA