Ocupação hoteleira nos EUA atinge 50% pela segunda vez

|

Os níveis de ocupação semanal dos hotéis nos EUA atingiram 50% pela segunda vez desde o ponto mais baixo na pandemia de covid-19, de acordo com os dados mais recentes do STR, registrados no período de 4 a 10 de outubro.

Unsplash/Marten Bjork
Ocupação hoteleira nos EUA alcança 50% pela segunda vez desde o ponto mais baixo na pandemia de covid-19
Ocupação hoteleira nos EUA alcança 50% pela segunda vez desde o ponto mais baixo na pandemia de covid-19
Em comparação com a mesma semana em 2019, a ocupação registrou uma queda de 29,2%, chegando a 50%. A taxa média diária foi de US$ 97,67, uma diminuição de 25,9%. Já a receita por quarto disponível, que caiu 47,5%, foi de US$ 48,85.

Enquanto alguns dos destinos de maior ocupação foram aqueles em áreas afetadas por desastres naturais, como os incêndios florestais na Califórnia, o sábado (9) da semana registrada produziu a maior ocupação (65,2%) e taxa média diária (US$ 110,84) do período, indicando que a demanda de lazer e estada de fim de semana observada no verão pode acontecer no outono.

Os dados agregados dos 25 principais mercados mostraram menor ocupação, de 44,1%, mas taxa média diária mais alta, de US$ 101,17, do que todas as outras regiões. Sete dos principais alcançaram ou ultrapassaram 50% de ocupação, liderados por Norfolk e Virginia Beach, na Virginia, com 54,7%, Houston, no Texas, registrando 54,4%, e San Diego, na Califórnia, com 54,2%.

Os destinos com os níveis de ocupação mais baixos na semana de 4 a 10 de outubro incluíram a Ilha de Oahu, no Havaí, que correspondeu a 19,3%, e Orlando, na Flórida, que registrou 33,7%.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA