Airbnb encerra programa de associados e revolta influenciadoras

|


Pixabay
Falta de solicitude para resolver os problemas e pouca antecipação no rompimento do contrato por parte do Airbnb causa queixa de comunicadoras parceiras
Falta de solicitude para resolver os problemas e pouca antecipação no rompimento do contrato por parte do Airbnb causa queixa de comunicadoras parceiras

O Airbnb encerrou seu Programa de Associados na última quarta-feira, 31 de março e, apesar de a plataforma de aluguel de casas garantir que vai honrar todas as comissões a que os influenciadores digitais e blogueiros têm direito, o rompimento causou revolta destes parceiros.

Editora do Trip To Follow, Tati Sisti assina, com Anna Laura (@anna.laura), Virginia Falanghe (@vivaomundo) e Julia Temer (@jujunatripblog) um texto no qual se queixam da forma repentina (30 dias de aviso prévio) com que o Airbnb desfez o negócio, além da falta de clareza e solicitude para elas, influenciadoras, recorrerem, conversarem ou negociarem.

Elas alegam que foram importante ferramenta para salvar a empresa, que "demitiu 1,9 mil funcionários e quase foi à falência", de um buraco ainda maior.

"Como aposta para reforçar as reservas de aluguel de temporada da plataforma, em maio o Airbnb deu início globalmente ao programa de afiliados para profissionais de Turismo, criadores de conteúdo e influencers", aponta trecho da carta. "Atestando o bom retorno, blogueiros de viagem investiram em modelos de negócios focados no Airbnb, em um calendário cheio de reservas de casas para fazer divulgação e comissionar, em aumento de equipe para escrever posts de Airbnb e contratação de freelancers, em reformulação de sites para focar em Airbnb e teve até mesmo quem tenha largado seu emprego formal para focar 100% na plataforma e em seus comissionamentos."

Elas ressaltam que este tipo de programa têm de ser duradouros para dar resultado pois, quanto mais tempo cadastrado, maiores os ganhos. "Apostando no Airbnb Associates seguindo passos de Booking, RentCars, Amazon e outros tantos programas consolidados no mercado de Turismo, com muitos anos de duração, a classe de profissionais de Turismo como um todo fez suas apostas e investimentos no Airbnb", alegam Tati Sisti e as co-autoras.

"A divulgação deu tão certo que ao final de 2020 e início de 2021, o próprio Airbnb admitiu que o programa deu resultado acima do esperado. Da mesma forma, anunciou que já tinha 90% das reservas oriundas de acessos orgânicos, e não precisaria mais dos afiliados para divulgarem as casas. Assim, com apenas 30 dias de aviso, o Airbnb fechou o programa de afiliados sem canal nenhum de comunicação com parceiros para recorrerem, conversarem ou negociarem."

As blogueiras ainda afirmam que há casos de R$ 10 mil a R$ 50 mil por mês de retorno em comissões. "Há pessoas com reservas futuras sem cancelamento que agora somam mais de R$ 30 mil em prejuízo", ponderam.

RESPOSTA DO AIRBNB
O Portal PANROTAS procurou o Airbnb para questionar sobre as alegações das comunicadoras envolvidas. Perguntamos também "como está a retomada do Airbnb"; "qual foi o impacto da pandemia para a empresa"; e "que parcerias o Airbnb quer/tem no mercado do Turismo.

A empresa se limitou ao seguinte comunicado:
"O Airbnb informou que descontinuou os incentivos do Programa de Associados após 31 de março de 2021. A plataforma destacou que irá honrar todas as comissões sobre as reservas feitas por meio do programa antes dessa data, e que permanece totalmente comprometida com o engajamento contínuo com as comunidades de influenciadores digitais e blogueiros."

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA