Hotelaria busca tecnologia para auxiliar na adaptação à LGPD

|

Em vigor deste setembro do ano passado, a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) trouxe uma regulamentação rigorosa ao tratamento dos dados das pessoas. No que diz respeito a compras e pagamento on-line, as implicações da Lei exigem das empresas muito cuidado e sigilo com os dados de seus clientes. Uma mudança dessa grandeza fez grandes empresas da hotelaria, por exemplo, a se adaptarem.

A rede Bourbon montou um comitê de risco para tratar na LGPD. Gerente de Revenue Management do Bourbon, Ludimilla Roumillac contou que comitê procurou estudar a lei, identificar e mapear todo tratamento dos dados pessoais, redefinir políticas e avaliar todos processos que não estejam em conformidade com a lei. “A partir da construção de um planejamento entre as áreas, buscamos no mercado especialistas, empresas responsáveis e ferramentas que garantam a segurança dos dados pessoais dos clientes e dos colaboradores”, afirmou.
Divulgação
E a implementação da Lei Geral de Proteção de Dados veio no momento em que, decorrente da pandemia de covid-19, houve um aumento no volume de compras on-line. Como uma prova de fogo, as empresas precisaram de adaptar de uma forma muito rápida à nova lei. A executiva da rede Bourbon contou que o pagamento on-line foi bastante expressivo durante o ano passado, o que obrigou a rede buscar ferramentas para auxiliarem na adaptação.

“Participamos ativamente de projetos pilotos de alguns fornecedores, pudemos acompanhar a construção de algumas ferramentas desde o início, realizando testes e ajustando conforme as nossas necessidades”, revelou.
A automatização de muitos processos foi mais do que estratégico num período de reestruturação de equipes. “A automatização garante agilidade na cobrança, evita atrasos e reduz possíveis erros manuais. Desta forma, conseguimos ter uma eficiência na cobrança, direcionando o tempo e a dedicação da equipe em atender o cliente e aumentar as vendas”, disse.

Uma das ferramentas que a rede Bourbon adotou para auxiliar nesse processo de mudança decorrente da LGPD foi o Bee2Pay, da Omnibees. Além de automatizar o fluxo de pagamento, Ludimilla Roumillac destacou outros benefícios da tecnologia no dia-a-dia da empresa. “Ela garante a segurança e a confiabilidade dos dados, atendendo as exigências da Lei Geral de Proteção de Dados e melhora o fluxo de caixa com cobranças antecipadas e em dia”, afirmou.
Divulgação

CORPORATIVO
Também como consequência da LGPD, houve uma mudança de comportamento entre as TMCs, empresas corporativas e operadoras. Agora, boa parte do setor corporativo trabalha para buscar uma solução que permita a gestão mais eficiente, que envolva conciliação e, sobretudo, segurança.

“Na rede Bourbon, temos o interesse em ter processos mais simplificados de pagamento e acreditamos que os pagamentos com cartão permitirão alcançar uma gestão mais ágil. Por isso, estamos aprimorando nossos processos e buscando ferramentas no mercado que integre com o nosso o PMS”, disse a executiva.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA