Norwegian prepara retorno dos seus cruzeiros

|

Divulgação
Em entrevista à Ladevi Medios y Soluciones, o vice-presidente de Vendas Internacionais da Norwegian Cruise Line, Todd Hamilton, reconheceu que há muito trabalho sendo feito apesar de os navios não estarem navegando. Recentemente, a Clia e suas companhias membros anunciaram a extensão da suspensão das operações até 31 de outubro. "Estamos comunicando nossas decisões com antecedência para garantir que fazemos a coisa certa para os passageiros e a tripulação”, explicou o executivo.

“Trabalho com Vendas Internacionais na NCL há sete anos e um dos aspectos que mais me impressiona no mercado latino-americano é a resiliência. Parece que os contextos estão sempre mudando em um país - inflação, reestruturação governamental – e mesmo assim os passageiros continuam a embarcar em nossos cruzeiros”, afirmou Hamilton ao refletir sobre uma região que, mesmo com seus altos e baixos, atende aos produtos da NCL. Hoje, as circunstâncias são globais, portanto a resiliência de todos os mercados será posta à prova.

Já o programa “Peace of Mind” da NCL visa trazer tranquilidade aos passageiros no momento da reserva, pois inclui a possibilidade de cancelamento até 48 horas antes da saída do cruzeiro: “Nesse caso concedemos 100% do crédito para um futuro cruzeiro. Isso é válido até o final de 2020, mas como não temos certeza do que acontecerá em 12 ou 15 meses, também prevemos que até outubro de 2021 os passageiros poderão cancelar com até 15 dias de antecedência. Também alteramos o esquema de pagamento: o cruzeiro pode ser pago até 60 dias antes da partida, em vez de 90", explica Hamilton.

Todd Hamilton
Todd Hamilton

PROTOCOLOS A BORDO

“Honestamente, antes dessa situação, já éramos muito diligentes na limpeza e desinfecção. Sempre buscamos o mais alto nível, não os padrões mínimos, e temos muito orgulho disso”, disse o vice-presidente de vendas internacionais. "Também procuramos como fazer melhor, para minimizar os riscos e de uma forma que os hóspedes se sintam confortáveis ??ao mesmo tempo".

Outra novidade da NCL é a formação do Healthy Sail Panel em uma iniciativa conjunta com a Royal Caribbean. O painel é liderado por especialistas em saúde que fornecerão as melhores recomendações e práticas para a indústria de cruzeiros em termos de saúde “Os dois gigantes da indústria de cruzeiros estão trabalhando juntos em segurança e, sem dúvida, alcançaremos os melhores resultados. E o melhor é que compartilharemos o conhecimento com o resto do setor e com qualquer player da indústria do Turismo que possa ser útil para você. Porque todos vamos superar essa situação juntos”, afirmou Hamilton.

RETORNO ÀS OPERAÇÕES

“Retornar às operações é extremamente complexo e nós analisamos constantemente. Não será como apertar um botão”, admitiu Hamilton. “Hoje não temos o equipamento completo a bordo - apenas o de manutenção - então devemos primeiro trazer o pessoal, depois reabastecer os navios e garantir que todas as normas sejam atendidas. Queremos fazer tudo certo e, portanto, não teremos toda a frota imediatamente. Isso vai demorar e os roteiros também terão que ser definidos”.

“Por outro lado, os navios de cruzeiro não serão os mesmos. Haverá capacidade limitada e distanciamento social. Os passageiros não vão se reunir no átrio ou no teatro, você tem que analisar onde as filas foram formadas e mudar essa execução para funcionar corretamente. É um desafio, mas a boa notícia é que isso requer inovação. Esta situação nos faz olhar para frente, nos dando a oportunidade de reimaginar a experiência do hóspede em um cruzeiro", explicou o executivo.

“Estamos todos confiantes de que sairemos dessa situação ainda mais fortes graças às decisões que tomamos nos últimos quatro meses”, finalizou o executivo.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA