EUA retira proibição para cruzeiros e anuncia retorno em fases

|


Divulgação

A Cruise Lines International Association (Clia), que representa 95% da capacidade de cruzeiros marítimos em todo o mundo, respondeu em seguida ao anúncio do CDC (Centro para o Controle e Prevenção de Doenças), que decidiu não renovar a proibição de navegação em vigor desde março e substitui-la por uma nova ordem de navegação condicional. Pela nova ordem, o governo americano vai iniciar testes e a liberação dos cruzeiros em fases, para garantir que os riscos de transmissão de covid-19 sejam os menores possíveis, que os passageiros e tripulantes sejam testados e que todos os cuidados sejam tomados para proteger a saúde pública. O documento, de 40 páginas, com as novas recomendações, pode ser acessado aqui.

As fases para o retorno dos cruzeiros nos Estados Unidos vão incluir a certificação dos navios e empresas que seguirem as recomendações e viagens teste acompanhadas pelo CDC para observar todos os procedimentos na prática.

Segundo a Clia, “guiados pelas recomendações de experts em saúde e ciência, incluindo o Healthy Sail Panel (Painel de Navegação Saudável – HSP), nossos membros estão 100% comprometidos em ajudar a proteger a saúde de nossos hóspedes, tripulantes e das comunidades que servimos”. A entidade continua sua declaração dizendo que “continuaremos a evoluir nossa estratégia à medida em que as circunstâncias também evoluem”.

“As consequências econômicas da atual suspensão de serviços são sentidas em comunidades por todo o país e com milhares de empregos em risco, nos comprometemos a retomar os cruzeiros de forma responsável, que mantenha a saúde pública em primeiro lugar. Estamos ansiosos para rever os detalhes dessa nova ordem e trabalhar com o CDC para adiantar o retorno dos cruzeiros aos portos americanos.”

A suspensão já dura sete meses e nesse período a Clia e seus membros estabeleceram protocolos considerados referências mundiais, como a testagem de 100% dos passageiros e tripulantes antes do embarque, uso de máscara, distanciamento físico, excursões em terra controladas, entre outros. Os cruzeiros já retornaram na Europa e em outras partes do mundo graças ao sucesso desses protocolos. A barreira do retorno aos Estados Unidos e Caribe, maior mercado de cruzeiros do mundo, era aguardada com ansiedade.

Filip Calixto
A presidente e CEO da Clia, Kelly Craighead
A presidente e CEO da Clia, Kelly Craighead
A presidente e CEO da Clia, Kelly Craighead, disse que a entidade irá rever minuciosamente a nova ordem e ouvirá as recomendações do Healthy Sail Panel nesse retorno dos cruzeiros. “Estamos confiantes que a volta dos cruzeiros aos portos americanos é possível e vai ajudar na recuperação da economia, mantendo o foco em medidas efetivas e baseadas na ciência para proteger a saúde pública.”

Saiba mais sobre as medidas de saúde definidas pela Clia e pelo Healthy Sail Panel.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA