Passageiros têm de ser testados para covid-19 antes de entrar no navio

|

Filip Calixto
Kelly Craighead, Marco Ferraz e Estela Farina
Kelly Craighead, Marco Ferraz e Estela Farina

A CEO da CLIA Global (Cruise Lines International Association), Kelly Craighead, durante o Seatrade Cruise Virtual 2020, versão on-line do maior evento internacional da indústria de cruzeiros, voltou a dizer que os cruzeiristas e tripulações das empresas associadas deverão ser 100% testados contra covid-19 antes do embarque. A resolução, aprovada pelo board da Clia, já havia sido anunciada no mês passado, como você pode conferir na notícia do Portal PANROTAS, onde há outros detalhes dos protocolos universais da entidade.

A medida, que passa a ser obrigatória os associados Clia, tem vigência imediata e é aplicável em todos os navios com capacidade para mais de 250 pessoas. A indústria de cruzeiros foi pioneira no Turismo na criação de programa de testagem de passageiros e colaboradores, que agora está sendo adotada por empresas aéreas e outros empreendimentos.

“Nossos membros representam 95% da capacidade global de cruzeiros marítimos. Somos uma indústria que coloca as pessoas, o compliance e o meio ambiente sempre em primeiro lugar e, por mais de 50 anos, temos consolidado nossa eficiência na proteção da saúde e do bem estar públicos, e não vamos parar agora”, disse Kelly Craighead.

Os novos protocolos foram baseados nas experiências das associadas Clia na Europa, em seus próprios protocolos individuais e nas exigências das autoridades americanas e caribenhas para um possível retorno dos cruzeiros na região ainda este ano.

VEJA OS PROTOCOLOS UNIVERSAIS DEFINIDOS PELA CLIA

TESTAGEM: 100% dos passageiros e tripulantes devem ser testados para a covid-19 antes do embarque.

USO OBRIGATÓRIO DE MÁSCARA: Todos os passageiros e tripulantes devem usar máscara a bordo e durante excursões, sempre que o distanciamento físico não puder ser mantido.

DISTANCIAMENTO: O distanciamento físico nos terminais, a bordo e nas ilhas privativas e excursões deve ser respeitado.

VENTILAÇÃO: Aplicar estratégias de gerenciamento de ar e ventilação para aumentar o ar fresco a bordo e, quando viável, usar filtros e outras tecnologias para diminuir riscos.

CAPACIDADE MÉDICA: Planos emergenciais de resposta para que cada navio gerencie suas necessidades médicas, com cabines alocadas para o isolamento e outras medidas operacionais e acordos prévios com empresas privadas em terra para quarentena, internações e transporte.

EXCURSÕES: Permitir apenas excursões de acordo com os protocolos do operador do cruzeiro, com aderência obrigatória de todos os passageiros e proibição de embarque para quem não seguir as regras.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA