CDC mantém suspensão de cruzeiros nos EUA até novembro

|

Divulgação
Na quarta-feira (24), entidades do Turismo, incluindo a American Society of Travel Advisors (ASTA) e Cruise Lines International Association (Clia), apelaram ao governo dos Estados Unidos e ao Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) para suspender seu pedido de "Ordem para Navegação Condicional" como uma maneira de reiniciar a indústria de cruzeiros. As informações são do portal Travel Agent Central.

Ontem (25), de acordo com a CNN, o CDC respondeu dizendo que a Ordem permaneceria em vigor até 1º de novembro de 2021. “Em 30 de outubro de 2020, o CDC emitiu o Conditional Sailing Order (CSO) que permanece em vigor até 1º de novembro, 2021. Retornar ao cruzeiro de passageiros é uma abordagem em fases para mitigar o risco de propagação da covid-19. Os detalhes para a próxima fase do CSO estão atualmente sob revisão”, disse o CDC em um comunicado à CNN. O problema apontado pelo setor é que desde novembro nada aconteceu. A vacinação começou e está avançando, mas os cruzeiros-teste não foram feitos e não há um horizonte para a volta das operações em portos americanos, tanto que empresas já estão fechando parcerias para cruzeiros com embarques em ilhas do Caribe.

Em um comunicado, o presidente e CEO da ASTA, Zane Kerb afirmou que “os primeiros indícios de que os indivíduos vacinados provavelmente não espalharão o vírus são uma razão convincente para permitir a retomada dos cruzeiros, especialmente considerando os padrões abrangentes de higiene e segurança já estabelecidos pelas linhas de cruzeiro".

O CSO foi emitido em outubro passado, mas, desde então, o CDC não divulgou nenhuma orientação adicional, conforme solicitado no CSO, para apoiar a retomada das operações de cruzeiros nos Estados Unidos. A falta de qualquer ação do CDC efetivamente proibiu todas as viagens no maior mercado de cruzeiros do mundo. Cruzeiros, disse a Clia, é o único setor da economia dos EUA que permanece proibido, mesmo que muitos outros tenham aberto ou continuado a operar durante a pandemia.

“A declaração do Centro de Controle e Prevenção de Doenças é um golpe para a indústria de cruzeiros, já que as operações de cruzeiros nos EUA serão suspensas para outra temporada de verão. Embora uma quantidade modesta de cruzeiros deva ocorrer neste verão, com várias empresas de cruzeiros transportando navios para novos portos em lugares como Bermudas, Bahamas e Israel, isso não será suficiente para compensar os custos fixos das empresas”, afirmou o analista de hospedagem e cruzeiros da Moody's, Pete Trombetta.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA